Um dramático vídeo que mostra um policial branco da Carolina do Sul, nos Estados Unidos, atirando contra um homem negro que estava fugindo, levou as autoridades norte-americanas a apresentarem uma acusação de homicídio contra o agente, em meio a indignação da população por uma série de mortes de homens negros desarmados causadas pela polícia. O policial foi preso e se condenado poderá pegar de 30 anos a prisão perpétua.

O vídeo mostra o oficial Michael Thomas Slager disparando oito tiros nas costas de Walter Scott Lamer, de 50 anos.

O prefeito da cidade de Charleston, Keith Summey, anunciou a acusação contra Slager em uma coletiva de imprensa ontem. As autoridades disseram que Scott foi baleado depois de o policial já ter o atingido com uma arma de choque, após uma operação policial na rua no último sábado por causa de um defeito na luz de freio de seu carro.

"Quando você faz algo errado, não importa se você está atrás de um escudo ou é um cidadão comum. Você tem que arcar com as consequências", disse o prefeito.

O advogado do policial disse que o policial se sentiu ameaçado, pois Scott tentou pegar sua arma de choque.

De acordo com o advogado da família, L. Chris Stewart, Walter Scott pode ter tentado fugir por falta de pagamento de pensões aos filhos, o que pode levar à prisão na Carolina do Sul até que o valor seja pago. Scott tinha quatro filhos, estava empregado e não possuía passagem pela polícia.

O tiroteio ocorreu em meio a um debate nacional sobre as questões de confiança entre as autoridades policiais e as comunidades minoritárias. Muitos protestos, alguns violentos, ocorreram em diversas cidades no ano passado, após um policial atirar e matar um garoto de 18 anos em Missouri e outro homem em Nova York. O furor aumentou após um juiz se recusar a indiciar os policiais que os mataram. 

Confira vídeo: