A votação da moção de aplausos ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pela sua atuação na pandemia de coronavírus foi adiada pela Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH)  para próxima sessão ordinária por falta de quórum.

De acordo com a CMBH, a reunião realizada nesta segunda-feira (6), que analisaria esse e outros temas, foi encerrada pela falta ausência do número mínimo de 21 vereadores estipulados pelo regiment da Casa como necessários para a apreciação das pautas

O pedido de moção foi proposto pelo vereador Jair Di Gregório (PSD), e também foi assinado pelos parlamentares Catatau do Povo (PSD), Fernando Luiz (Avante), Orlei (PSD), Pedrão do Depósito (Cidadania) e Wesley Autoescola (Pros).

Porém, pelo menos um desses parlamentares retirou a assinatura da moção. De acordo com Pedrão do Depósito, o apoio veio na ocasião da criação federal do auxílio emergencial, mas que situações posteriores o fizeram mudar de ideia. "Hoje não apoio a postura do presidente. Já havia pedido a retirada de assinatura desta moção e protocolei o requerimento oficializando a retirada", disse.

Di Gregório pede aplausos a Bolsonaro para homenagear a conduta do presidente, a qual o vereador qualifica como "exemplar e valorosa na prestação de socorro e auxílio às vítimas da pandemia do coronavírus COVID-19 em todo o território nacional".