Toda mulher (mesmo que em silêncio) debocha do drama daquela que topa com outra usando o mesmo modelito. Mas quando o assunto é automóvel, principalmente se for de luxo, todo mundo quer que o seu seja único. Não é à toa que muita gente gasta fortunas para customizar seu carrão. Mas a Audi, atenta ao anseios dos consumidores, acaba de anunciar a chegada do supercarro R8 renovado e com um serviço de personalização que pode fazer com que o automóvel seja único.

 

O R8 passou por reestilização recentemente, com elementos frontais que seguem o padrão dos demais modelos da marca. Novos faróis, nova grade, capô, para-choques e lanternas fazem parte das atualizações da geração que chegou em 2016. Nada drástico, afinal o R8 sempre teve um estilo arrebatador. Mesmo assim, as mudanças foram capazes de deixar o carro ainda mais agressivo.

Segundo a marca, o bólido alemão permite 1,6 milhão de combinações. O comprador pode escolher, além da cor da carroceria e do acabamento interno, detalhes como cor dos retrovisores, da moldura lateral (que protege as entradas de ar), cor do emblema, rodas e um monte de penduricalhos.

Mas toda essa brincadeira tem um preço. E não é barato. O novo R8 chega ao mercado brasileiro no segundo semestre com preço inicial de R$ 1.234.990 (isso mesmo, deve ser numerologia). Detalhe, esse valor é para venda direta, entre pessoas jurídicas.

Debaixo do capô traseiro, o R8 mantém seu abissal V10 5.2 (Lamborghini) com aspiração natural e 610 cv e 56 mkgf de torque. Números que se traduzem em aceleração de 0 a 100 km/h em 3,2 segundos e máxima de 330 km/h. Completa o conjunto a transmissão S Ttronic de sete marchas e a tração integral Quattro.

Por dentro, o visual passou por leves intervenções. Destaque para o volante que mantém seletor dinâmico ao alcance do polegar esquerdo, que se chama carinhosamente de Drive Select. Nele é possível ajustar todo o comportamento dinâmico do R8. Ele também conta com sistema de som Bang & Olufsen, mas melhor que isso é o botãozinho com uma bandeirinha quadriculada. Ele muda o timbre do ronco do motor, como se as trombetas do apocalipse estivessem berrando no seu cangote.