Existem regras que não podem ser quebradas, como comer carne na Sexta-Feira da Paixão, para os católicos. Misturar qualquer coisa a um uísque puro malte, para um escocês, ou tentar fazer uma versão forró de “Smells Like Teen Spirit” (o que fez Kurt Cobain se retorcer no túmulo). 

Mas em 2017, engenheiros da Porsche resolveram macular a obra-prima Ferry Porsche. Eles deslocaram o motor do 911 para posição central, na versão de competição RSR.

A justificativa: melhorar a performance do 911 na categoria GTE do Mundial de Endurance (WEC). E deu certo! Na temporada 2018/19 a Porsche foi campeã entre construtores e ainda ajudou a dupla Michael Christensen e Kévin Estre a conquistar o título de pilotos na categoria.

Porsche

NAS MÃOS – O volante do RSR GTE oferece instrumentação completa e todas as leituras que o piloto precisa durante a prova

Visualmente, não há como perceber a mudança, mas fato é que ao remover o motor da posição original (posterior ao eixo traseiro) e colocá-lo entre os eixos, a Porsche melhorou consideravelmente o comportamento dinâmico do carro. Ou seja, ficou mais preciso. E o piloto podia atacar mais sem o risco de a traseira se soltar com tanta facilidade. 

Agora a Porsche revela a atualização do RSR, que passa a se chamar 911 RSR GTE. Apesar de ser quase impossível notar alguma diferença em relação ao antecessor, a marca afirma que o carro foi totalmente revisado, principalmente no que diz respeito à aerodinâmica e conjunto mecânico.

A unidade boxer 4.0 seis cilindros teve seu deslocamento aumentado para 4.2 litros. Aspirado, ou seja, sem auxílio de turbina ou compressor, o motor entrega 514 cv, mais que suficiente para empurrar os 1.245 quilos da carroceria de plástico e fibra de carbono.

Mesmo imperceptíveis, o carro foi lapidado. Há um novo spoiler dianteiro, assim como novas tomadas de ar. São quatro entradas, duas para ventilar os freios e outras duas que saem pelo capô e aumentam o downforce sobre o eixo dianteiro. Nas laterais, as entradas também foram revistas para melhorar a alimentação. A asa traseira e os extratores também passaram por uma revisão. Tudo em nome da performance. Afinal, quem nunca pecou na vida?