A prévia da inflação oficial para março, medida pelo IPCA-15, divulgado na manhã desta sexta-feira (20) pelo IBGE, ficou em 1,24%. A prévia ficou abaixo da registrada em fevereiro (1,33%), porém maior do que março de 2014, quando o índice apontou para aumento de preços de 0,73%. 

Desde o início do ano o IPCA-15 vem em trajetória crescente. No acumulado dos três primeiros meses do ano, a inflação chegou a 3,5%, a maior desde dezembro passado.  

No acumulado em 12 meses findos em março, a inflação prévia foi de 7,9%, acima do teto da meta estipulada pelo Banco Central, de 6,5%, e a maior desde maio de 2005 (8,19%). Em fevereiro, o índice acumulado era de 7,36%.

O IPCA-15 mede a inflação acumulada do dia 16 do mês anterior ao dia 15 do mês de referência funciona como uma prévia do que poderá ser a inflação fechada no mês.

SETORES

Na variação mensal, pesou no bolso do consumidor as altas de habitação (2,78%), transportes (1,91%) e alimentação e bebidas (1,22%). Os segmentos que deram alívio foram comunicação (queda de 0,78%) e vestuário (-0,11).

No acumulado em 12 meses, habitação também figurou como a maior alta, de 13,72%, seguida de alimentação e bebidas (8,90%), educação (8,43%) e despesas pessoais (8,26%). Transportes (7,38%) e saúde e cuidados pessoais (7,06%) também ficaram acima do teto da meta do governo.  

Na série de 12 meses, apenas um dos nove grandes segmentos pesquisados pelo IBGE tiveram queda nos preços -comunicação, de 1,65%.