O preço da carne está pesando mais no bolso do consumidor da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Nos últimos 15 dias foi registrada uma alta de até 16% em alguns produtos. A elevação foi percebida em cortes de boi, porco e frango.

A constatação está em um levantamento do site Mercado Mineiro, divulgada nesta segunda-feira (20). Ao todo, 35 estabelecimentos foram analisados, de 13 a 15 de julho. Outro dado que chama a atenção é a variação de preços entre os estabelecimentos da Grande BH. Em alguns, acima dos 170%. 

Coordenador da pesquisa, Feliciano Abreu diz que esse aumento percebido nas duas últimas semanas é muito ruim, tanto para a população quanto para o dono do açougue. “Normalmente, nessa época do ano, a seca impacta no preço da ração dos animais, causando a alta. Entretanto, por conta da pandemia, era esperado uma queda no consumo, segurando os preços, o que não aconteceu", disse.

Variação

O levantamento mostra que na carne suína há uma variação de 172% no quilo da bisteca de costela, podendo custar de R$ 10,99 a R$ 29,95. A picanha bovina, por exemplo, varia de R$ 34,99 a R$ 89,95 – uma diferença de 157%. Já o quilo do contrafilé pode custar de R$ 29,99 a R$ 52.

Feliciano Abreu orienta o consumidor a consultar os preços antes da compra, ainda que o momento de isolamento não permite pesquisa tudo. “Muitas vezes, a pessoa pode achar que se encareceu, encareceu em todos os lugares, o que não é verdade. O ideal é garimpar essas ofertas”, destacou.

Confira abaixo quanto aumentou o quilo médio de alguns itens nos últimos 15 dias

Acém: de R$23,22/kg para R$24,88/kg (+7,16%);
Picanha: de R$42,38/kg para R$45,02/kg (+6,23%);
Maminha tradicional: de R$29,67/kg para R$31,21/kg (+5,17%);
Bisteca com costela: de R$15,20/kg para R$16,05/kg (+5,59%);
Lombo: de R$15,63/kg para R$16,94/kg (+8,30%);
Pazinha suína: de R$12,60/kg para R$13,64/kg (+8,27%);
Costelinha: de R$18,38/kg para R$19,25/kg (+4,74%);
Asa de frango: de R$14,00/kg para R$16,71/kg (+16%);
Coraçãozinho: de R$19,85/kg para R$20,34/kg (+2,46%);
Frango resfriado: de R$7,42/kg para R$7,60/kg (+2,39%);
Pescoço de Peru: de R$15,60/kg para R$16,71/kg (+7,11%).

Confira a variação do preço dos itens entre os estabelecimentos

Picanha: mínimo de R$34,99/kg, máximo de R$89,95/kg (157%);
Contra filé: mínimo de de R$29,99/kg, máximo até R$52,00/kg (141%);
Filé Mignon: mínimo de R$29,99/kg, máximo de R$52,00/kg (73%);
Maminha: mínimo de R$23,95/kg, máximo de R$42,00/kg (75%);
Bisteca com costela: mínimo de R$10,99/kg, máximo de R$29,95 (172%);
Pazinha suína: mínimo de R$9,98/kg, máximo de R$22,95/kg (129%);
ernil com osso: mínimo de R$9,99/kg, máximo de R$21,95/kg (119%);
Toucinho para torresmo: mínimo de R$10,99/kg, máximo de R$25,95/kg (136%);
Filé de peito de frango: mínimo de R$9,99/kg, máximo de R$18,00/kg (80%);
Peito de frango resfriado: mínimo de R$6,95/kg, máximo de R$11,90/kg (71%):
Frango resfriado: mínimo de R$6,49/kg, máximo de R$10,99/kg (69%).

Leia mais:

Inflação volta a subir: após recuos seguidos em BH, índice de junho reflete reaquecimento econômico
Governo cria protocolos para frigoríficos atuarem durante a pandemia
Ipea: setor agropecuário pode crescer até 2,5% apesar da Covid-19