A gasolina ficou mais cara nos últimos dias em boa parte dos postos de combustíveis da Região Metropolitana de Belo Horizonte, enquanto o etanol começou a ficar mais barato, fazendo com que o combustível da cana-de-açúcar seja ainda mais vantajoso para o consumidor. Atualmente, as bombas registram um etanol aproximadamente 40% mais barato do que a gasolina.

O aumento no litro da gasolina aconteceu principalmente por conta de uma elevação, na última quinta-feira (16), no Preço Médio Ponderado ao Consumidor Final (PMPF), medida esta que serve como base para que o governo cobre o Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), provocando um aumento de R$ 4,9516 para R$ 5,0473, o maior entre os 26 estados brasileiros. Desde a semana passada, a gasolina chega aos postos três centavos mais cara.

Por outro lado, o valor do etanol nas bombas passa por uma redução e tende a cair ainda mais nas próximas semanas, devido à safra da cana-de-açúcar. Atualmente, o etanol está com preço que corresponde a aproximadamente 60% da gasolina, indicando que é mais vantajoso para o consumidor com carro flex optar por ele.

Já sobre a gasolina, é difícil prever se haverá novos aumentos ou reduções, pois o preço dos combustíveis derivados do petróleo dependem de muitas variáveis. “O valor do litro da gasolina e do diesel estão atrelados ao preço do barril do petróleo no mercado internacional, que está subindo no momento. Os combustíveis também dependem do valor do dólar. Como o mercado é muito volátil, é difícil prever como serão essas variáveis nas próximas semanas”, explica Bráulio Chaves, especialista no mercado de combustíveis e ex-diretor do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado de Minas Gerais (Minaspetro).

“Anualmente, o preço do etanol cai nessa época do ano por causa da safra da matéria-prima, então podemos prever uma queda para as próximas. Mas, não há como prever se o preço da gasolina vai aumentar ou diminuir. Dessa forma, não é possível afirmar por quanto tempo o etanol permanecerá vantajoso”, explica o especialista.

Opção pelo etanol

No posto Túnel, localizado na avenida Cristiano Machado, o aumento na arrecadação do ICMS foi repassado ao consumidor e a gasolina passou de R$ 4,633 para R$ 4,665. Já o etanol ficou mais barato no estabelecimento, caindo de R$ 2,99 para R$ 2,88.

Consequentemente, os clientes tendem a optar pelo combustível mais barato. “Quase todo mundo que tem carro flex tem optado pelo etanol. Somente quem tem um veículo mais antigo ou que não rende muito bem com etanol que prefere a gasolina”, afirma Pablo Vieira, gerente do posto.

Os aumentos foram detectados em postos de diversas regiões de Belo Horizonte. No posto Belvedere, a gasolina subiu de R$ 5,099 para R$ 5,499, enquanto no posto Camões, no bairro Itapoã, a elevação foi de R$ 4,699 para R$ 4,799. Já no posto São Paulo Atlântida, no Castelo, o valor subiu de R$ 4,749 para R$ 4,999.

O Minaspetro informa que os postos dependem de decisões e repasses – caso estes aconteçam – por parte dos outros agentes do setor. Ou seja, governo, refinarias, usinas de etanol e companhias distribuidoras. Não existe tabelamento no setor, porque o mercado de combustíveis é livre. Cada empresário define seu preço de venda, que varia de acordo com inúmeros fatores, tais como estratégias comerciais, localização, concorrência, entre outros.

Leia mais:
Aumento no valor base para cobrança de ICMS deve deixar combustíveis mais caros a partir desta 5ª