O pãozinho de sal, primeiro alimento do dia de muitos brasileiros, pode custar de R$8,99 a R$17,99, o quilo, nas padarias de Belo Horizonte, uma variação de 99%. Mas, se o consumidor optar pelo pão doce, a diferença de um local para o outro é ainda maior. O produto foi encontrado a R$8,99 e também a R$31,00, o quilo, variação de 244%. A pesquisa é do site Mercado Mineiro e foi realizada nos dias 21 e 22 de fevereiro. 

Ainda de acordo com a pesquisa, os preços mais altos estão na região Sul da capital e os mais baixos na Região Metropolitana. A justificativa para a diferença não se resume a apenas um fator, mas a vários, segundo o presidente da Associação Mineira da Indústria de Panificação (Amip), Vinicius Dantas. Ele cita vetores como aluguel, tamanho do comércio, número de funcionários, transporte para funcionários, preço da farinha e qualidade dos produtos usados na fabricação do pão. "Geralmente, quanto mais nobre o local, mais difícil de encontrar mão de obra perto e o deslocamento é maior, chegamos a pagar até três vales para que o empregado consiga chegar ao local. Já na periferia, às vezes, o vizinho é o empregado. O comércio é menor e a esposa do dono trabalha no caixa. Isso sem falar no custo do aluguel e na qualidade dos produtos de um local para o outro", explica.  

O Mercado Mineiro também pesquisou preços de leites e derivados, além de frios em 27 padarias da capital e Grande BH. 

O litro do leite tipo C de saquinho pode custar de R$ 2,75 até R$5,00, com uma oscilação de 81%. O leite longa vida Itambé foi encontrado a R$ 2,99 e também a R$5,95, uma flutuação 99%. Já a margarina Qualy de 500g foi encontrada a R$5,95 e a R$8,90, oscilando 49%.

Quanto aos frios, o menor preço do presunto foi R$22,50 e o maior, R$ 36,90, variação de 64%. O quilo da mortadela oscilou de R$16,90 a R$28,90, variando 71%. 

No caso do preço de produtos de marcas, Vinicius Dantas esclarece que quanto maior o comércio mais chance ele tem de negociar com as indústrias. "É preciso estar claro qual é o perfil da padaria, se ela concorre com um supermercado e tem grande poder de compra ou se é de conveniência, com poucos produtos. Aí o preço sai mais alto para o consumidor", afirma.

Lanche na padaria 

Ainda conforme a pesquisa, um lanche rápido no início do dia pode custar mais dependendo do lugar. O pão com manteiga, por exemplo, pode custar de R$1,00 a R$2,80, uma variação 180%. O café com leite pode custar de R$ 1,30 a R$3,60, uma variação de 176%. E o cafezinho sai de R$0,95 a R$2,00, uma variação 110%. Quem optar pelo pão de queijo pode pagar de R$1,50 a R$ 3,80, uma variação de 153%.

Aumento de preço 

A pesquisa ainda revela aumento de preço do pão francês de 2,84% na comparação com os 6 últimos meses. O quilo subiu de R$13,73 para R$14,12. Um aumento baixo em relação aos gastos do setor, segundo o presidente da Associação Mineira da Indústria de Panificação (Amip), Vinicius Dantas. "A farinha nesses últimos oito meses aumentou muito, seja por causa das altas temperaturas que não propiciaram o plantio de trigo, seja por ter que trazer farinha do Canadá porque a Agentina não teve um plantio (suficiente para atender o Brasil). Apesar de tudo isso, o setor reduziu o lucro, cortou na própria gordura", concluiu

A pesquisa completa está disponível no site Mercado Mineiro.

Leia mais:
Crise na Argentina deve prejudicar exportação de veículos, diz Anfavea
Chocolate amargo: comércio de BH já se prepara para a Páscoa, com tendência de ovos mais caros
Apesar da alta, etanol ainda é mais vantajoso que a gasolina em Minas