O prefeito de Contagem, Alex José Ferreira de Freitas, e o secretário de Defesa Social do muncípio, Décio Camargos de Aguiar Júnior, são alvos da operação "Mi casa su casa", deflagrada na manhã desta quarta-feira (17) pelo Ministério Público (MPMG) e Polícia Civil (PC). Os agentes públicos são investigados por lavagem de dinheiro, ocultação de bens e valores e outros possíveis crimes contra o erário.

Nesta manhã, foram cumpridos mandados de busca e apreensão na casa do prefeito e do secretário e nos gabinetes de trabalho deles. Ao todo, 17 agentes participaram da ação.

De acordo com o MPMG, há indícios de enriquecimento ilícito do prefeito e do secretário. As investigações, que começaram há um ano, apontam que Décio Camargos comprou o imóvel onde mora atualmente, por aproximadamente R$ 3 milhões.

Mais detalhes da investigação serão repassados à imprensa, em entrevista coletiva, às 11h, na sede da Procuradoria de Justiça, em Belo Horizonte. 

Os trabalhos de investigação são conduzidos pelo MPMG e pela PC, por meio da Procuradoria de Justiça de Combate aos Crimes Praticados por Agentes Políticos Municipais (PJCCAP), do Grupo Especial do Patrimônio Público (GEPP), e do Grupo de Apoio Operacional Policial (GOP) ligado ao Núcleo Especial de Combate à Corrupção (NECC).

Outro lado

Em nota, a Prefeitura de Contagem disse que Alex aluga um imóvel de propriedade de Décio Camargos e que o contrato atende a todas as regras previstas na legislação. A administração ainda afirmou que os alugueis são declarados no Imposto de Renda. 

"Diante do exposto, é impossível não ficar indignado com uma operação policial para investigar um assunto que poderia ser esclarecido pelo mero envio de documentos oficiais e declarados à Receita", diz o texto, que classifica a operação como "no mínimo, duvidosa". Leia a nota na íntegra: 

NOTA OFICIAL

1. O prefeito Alex de Freitas sempre esteve e continua à disposição da Justiça para prestar qualquer esclarecimento e disponibilizar todos os documentos aos órgãos de controle e fiscalização do Poder Executivo. Essa é uma obrigação do gestor público.

2. Em relação à operação desencadeada pela Polícia Civil nesta quarta-feira, 17 de julho de 2019, o prefeito de Contagem, Alex de Freitas, esclarece:
a. O prefeito aluga um dos imóveis, em Contagem, de propriedade de Décio Camargos;
b. O contrato de locação atende a todas as regras previstas na legislação;
c. Os alugueis do imóvel onde o prefeito reside são declarados no Imposto de Renda de Alex de Freitas, o que pode ser comprovado por extrato bancário.

3. Diante do exposto, é impossível não ficar indignado com uma operação policial para investigar um assunto que poderia ser esclarecido pelo mero envio de documentos oficiais e declarados à Receita.

4. A cidade de Contagem pode ter certeza que o trabalho, a coragem e o empenho do prefeito Alex de Freitas não serão afetados por operações consideradas, no mínimo, duvidosas. Manteremos a cidade funcionando e os investimentos em obras e melhorias como tem sido a prática desta administração.