A Prefeitura de São Paulo informou nesta terça-feira (7), que 12 pontes sobre os Rios Tietê e Pinheiros receberão ciclovias até o fim de 2015, todas integradas a outras vias cicláveis do município. As quatro primeiras estruturas a ganhá-las serão o Viaduto Domingos Franciulli Netto (Penha) e as Pontes Presidente Jânio Quadros (Vila Maria), Júlio de Mesquita Neto (Pompeia) e Vitorino Goulart da Silva.

As três primeiras ficam sobre o Rio Tietê e a última, sobre o Rio Pinheiros, na zona sul. Nesses locais, haverá apenas pintura da ciclovia no solo, além de obras de pequeno porte.

Outras oito pontes já têm projeto para instalação de ciclovias, mas requerem intervenções maiores. São elas as Pontes Doutor Miguel Arraes (Aricanduva), Flávio Cavalcanti (Vila Guilherme), Cruzeiro do Sul, das Bandeiras, Jornalista Walter Abraão (Casa Verde), Adhemar Ferreira da Silva (Limão), Carmen Fernandes Neves (dos Remédios) e Jurubatuba. Todas, com exceção da última, ficam sobre o Tietê.

Essas duas etapas, avaliadas em R$ 6 milhões, serão tocadas simultaneamente. As primeiras intervenções começam ainda neste mês na Ponte da Casa Verde. Um projeto-piloto foi feito pela Prefeitura no Viaduto Alberto Marino.

De acordo com a gestão de Fernando Haddad (PT), ainda estão em "estudos técnicos" as demais pontes sobre os dois rios: Pontes Imigrante Nordestino, Deputado Ricardo Izar (Tatuapé), Anhanguera (Complexo Viário Prefeito Olavo Egydio Setúbal), Engenheiro Ary Torres, Octavio Frias de Oliveira (Estaiada), Caio Pompeu de Toledo (Morumbi), João Dias, Transamérica, Freguesia do Ó, do Piqueri, Hirant Sanazar (Jaguaré), Cidade Universitária, Eusébio Matoso, Engenheiro Roberto Zuccolo (Cidade Jardim), Laguna (em construção) e Santo Dias da Silva (Socorro).

O secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, afirmou que em todas elas a velocidade máxima para veículos será regulamentada para 50 km/h. Parte das ciclovias será feita no canteiro central, outra nas faixas da direita e outra nas calçadas.