A imigração ilegal é uma ameaça para a Hungria e para toda a Europa, com o maior risco vindo de centenas de milhões de pessoas que vem das "profundezas da África" para escapar da pobreza, afirmou o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orban, neste sábado (25).

Orban acusou a União Europeia de não defender os seus cidadãos das "massas de imigrantes ilegais", que, segundo ele, ameaçam a identidade cultural dos países europeus e contribuem para aumentar o terrorismo, o desemprego e a criminalidade.

"Para nós, hoje a Europa está em jogo", disse Orban. "Estamos lutando pela sobrevivência do reconhecido estilo de vida do cidadão europeu, seus valores e suas nações."

"A questão agora não é apenas que tipo de Europa que os húngaros gostariam de viver, mas que Europa vai existir daqui pra frente", afirmou.

Até agora neste ano, mais de 90 mil imigrantes e refugiados chegaram à Hungria, que está construindo uma cerca em sua fronteira com a Sérvia para conter o fluxo de pessoas. A maioria dos refugiados pedem asilo na Hungria, mas rapidamente partem para outros destinos na União Europeia, como Alemanha e Suécia, antes de os seus casos serem resolvidos.

"As ameaças realmente sérias não estão chegando das zonas de guerra, mas das profundezas da África", disse Orban. "A África do Norte hoje já não pode defender a Europa das massas imensas de pessoas."

Orban falou a jovens partidários no mesmo festival cultural onde há um ano ele delineou planos para converter a Hungria em uma "estado iliberal", como Rússia, China e Cingapura. Essa ideia - assim como suas acusações de que grupos cívicos contrários ao seu governo estavam trabalhando para interesses estrangeiros - atraiu muitas críticas, inclusive do presidente dos EUA, Barack Obama.

Desta vez, Orban criticou principalmente a liderança da UE em Bruxelas e os partidos de esquerda, acusando-os de apoiar voluntariamente a imigração para enfraquecer as nações individuais da Europa e as suas culturas originais.

"Parte da Europa encara o problema da imigração não como uma fonte de perigo, mas como uma oportunidade", disse. "Eles acreditam que a escalada da imigração pode enfraquecer ou mesmo eliminar as estruturas nacionais." Fonte: Associated Press.