O governador eleito Fernando Pimentel (PT) começa a bater o martelo para a composição do secretariado, definindo os primeiros nomes. O presidente estadual de seu partido, deputado federal Odair Cunha, será titular da Secretaria de Governo.

O detentor do posto é responsável pela interlocução política da administração, especialmente pelas articulações com a Assembleia Legislativa. É ele quem trata, por exemplo, da liberação de emendas parlamentares.
Na Casa Civil, Pimentel deverá nomear Marco Antônio Rezende Teixeira. O futuro secretário foi procurador da Prefeitura de Belo Horizonte quando o governador eleito ocupou a administração local.

Ao contrário do especulado, o deputado federal Reginaldo Lopes (PT), parlamentar mais votado por Minas Gerais, não será alçado secretário.

O segundo deputado federal a ser efetivado por Pimentel no governo é Miguel Corrêa Júnior. Ele comandará a Secretaria de Desenvolvimento Regional, Políticas Urbanas e Gestão Metropolitana. Miguel é o nome do PT para encampar a candidatura a prefeito de Belo Horizonte. Por isso, assumirá as negociações do governo, entre elas a liberação de recursos, para a Região Metropolitana.

O PMDB deverá ficar com o Turismo, com a indicação do deputado estadual Tadeuzinho, filho do ex-prefeito de Montes Claros Luiz Tadeu Leite. Hoje, não existe a pasta de Turismo. Ela está acoplada à de Esportes. Porém, o novo governador vai separar as secretarias. O PCdoB será responsável pela indicação da pasta de Esportes. Para o lugar, indicou Wadson Ribeiro.

O PMDB quer também emplacar Silas Brasileiro na Agricultura. Para a Saúde, os peemedebistas indicaram o vice-presidente estadual da legenda, deputado federal Saraiva Felipe. Porém, Pimentel prefere o petista Helvécio Magalhães. O problema é que Magalhães deseja ocupar a Secretaria de Planejamento.

O governador teria acertado ainda com o PMDB atendê-lo em outro pleito. Nomeará o advogado Leonardo Bandeira na Secretaria de Desenvolvimento Social.

Os peemedebistas querem a prerrogativa de indicar quadros para ocupar uma diretoria em cada estatal, já que o governador decidiu colocar nas presidências nomes do mercado.

O PRB também fez a sua indicação. Quer que o deputado estadual pastor Carlos Henrique seja agraciado com uma pasta.

Definidos nomes para Assembleia

O novo presidente do Legislativo mineiro deverá ser o deputado Adalclever Lopes (PMDB). A costura foi fechada pelo governador eleito Fernando Pimentel (PT) em conjunto com o vice governador, Antônio Andrade (PMDB), e as bancadas estaduais dos partidos da base. Adalclever terá que passar pelo crivo dos colegas, já que o nome é levado à votação.

Para líder do governo na Assembleia, o escolhido foi o deputado Durval Ângelo (PT).
Petistas e peemedebistas revezarão o comando da Assembleia.