Desgastado após ser citado em várias gravações telefônicas, o secretário municipal de governo, Antonio Donato (PT), está sendo pressionado para deixar o cargo na tarde desta terça-feira (12). Após várias semanas defendendo o secretário, o prefeito Fernando Haddad (PT) disse nesta manhã que qualquer servidor do Executivo municipal poderia ser investigado, em referência a questionamentos se Donato permaneceria no cargo. O jornal O Estado de S.Paulo revelou no dia 3 que Donato era citado em conversas entre os investigados. Além de pedir ajuda para o secretário, homem forte da gestão Haddad, um dos acusados conversa com sua companheira sobre supostas doações para a campanha de Donato a vereador em 2008.

A saída de Donato vem sendo estudada desde o início da divulgação das gravações em que membros da quadrilha do ISS demonstram intimidade com o secretário. A assessoria de Donato, porém, disse não ter "nada decidido". Um dos cotados para assumir a pasta é o atual secretário de Saúde, José de Fillipe Jr.

"Se ele (o controlador Mário Spinelli) é autônomo e tem liberdade para investigar quem quer que seja, cabe ao controlador dar as respostas, pois é ele quem tem os subsídios, é ele quem colhe os depoimentos, ele que colhe informações", disse Haddad na manhã desta terça-feira.