A produção industrial em Minas Gerais apresentou alta pelo sexto mês consecutivo. De acordo com a Pesquisa Industrial Mensal Regional (PIM-Regional), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada nesta quarta-feira (09/12), o avanço no Estado em outubro foi de 0,4% em relação a setembro. Nos últimos seis meses, o crescimento chega a 16,1%. No acumulado de 2020, a produção industrial mineira aumentou 3,2%.

Os números divulgados pelo IBGE foram recebidos com otimismo pela classe industrial mineira, e como um indicativo de que o crescimento deve prosseguir nos próximos meses. Para o diretor da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg) Fábio Sacioto, o aumento registrado em outubro pode ser ainda maior nos próximos meses, com o reaquecimento de setores da indústria que ainda sofrem os impactos da crise econômica causada pela pandemia – como o minerador, o siderúrgico e o automotivo –, que têm forte peso no parque industrial do Estado.

“Setores importantes da nossa indústria ainda não entraram na plena retomada e, por isso, podemos acreditar que esse crescimento vai continuar”, enfatiza o diretor da Fiemg.

Empregos e investimentos

A alta nos últimos seis meses e o cenário de otimismo também criam um prognóstico de possibilidade de aumento na oferta de empregos e de investimentos na indústria mineira. Para 2021, Sacioto acredita que a expansão dos empregos no setor será natural, assim como a dos investimentos.

“É uma tendência natural, porque já estamos registrando crescimento em relação ao acumulado do ano. A continuar neste ritmo, mais postos de emprego terão que ser criados e os investimentos também virão”, explica o representante da Fiemg.

 

Resultados no país

A PIM-Regional do IBGE também mostrou que o crescimento da atividade industrial foi observado em oito das 15 regiões pesquisadas em outubro. A maior alta foi alcançada no Paraná (3,4%), seguido de Pernambuco (2,9%), de Santa Catarina (2,8%) e da Região Nordeste (1,7%). Esses locais tiveram aumento acima da média nacional, que foi de 1,1%.

Na outra ponta da linha, o Rio de Janeiro apresentou recuo de 3,9%. Goiás (-3,2%), Espírito Santo e Pará (-1,8%), Amazonas (-1,1%) e Bahia (-0,1%) foram os outros onde a produção industrial recuou em outubro, segundo o IBGE.