Professores da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) denunciam que estão sem receber o salário de dezembro, férias e 13º. Segundo eles, que são funcionários do Centro de Idiomas da instituição, não há previsão de recebimento em função de dificuldades financeiras. Por falta de verba, há o risco, inclusive, de o centro ser obrigado a encerrar as atividades.

Em nota, a assessoria de imprensa da UFVJM informou que o Centro de Idiomas é mantido pelas mensalidades dos seus alunos matriculados. “Com o problema da greve ocorrida em 2015, a arrecadação das matriculas foi prejudicada, em razão da evasão de alunos, com seu respectivo não pagamento das mensalidades. Isso implicou em drásticas reduções dos recursos arrecadados, culminando no atraso do salário dos professores”, justificou.

Segundo o comunicado, a UFVJM não vislumbra o encerramento das atividades do Centro de Idiomas, mas propõe um redimensionamento das atividades, tendo em vista a realidade de demanda por cursos de língua estrangeira da comunidade. “Nesse sentido, serão feitos estudos para estabelecer a dimensão que o Centro de Idiomas deve ter para assegurar sua auto sustentabilidade”, informou.

Ainda de acordo com a assessoria, os professores do Centro de Idiomas são contratados pelo regime CLT pela Fundação Diamantinense de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão (Fundaepe), e, portanto, não são professores efetivos da universidade.

O Ministério da Educação (MEC) afirmou, também em nota, que todos os docentes efetivos do país, substitutos e visitantes estão com o pagamento da suas remunerações em dia.