Com pouca ou nenhuma experiência, o jovem é o que mais sofre em tempos de crescimento do desemprego. Mas mesmo em meio à crise, grandes empresas estão com inscrições abertas para os programas de estágio e trainee, que cada vez mais ganham status de oportunidade de ouro de trabalho. Os salários podem chegar a R$ 5.500 por mês. Mas algumas vagas são mais concorridas que vestibular.
 
“A concorrência é acirrada e o processo de seleção já funciona como um filtro. Por isso mesmo, a chance do estudante aprovado ser contratado é grande. Cabe ao jovem aproveitar e se comportar como um profissional”, orienta a psicóloga e especialista em conhecimento técnico na área de Desenvolvimento Organizacional e Recursos Humanos, Rúbria Coutinho.
 
Segundo ela, a expectativa é grande não apenas por parte dos estudantes, mas também pelas companhias. Dados do Núcleo Brasileiro de Estágio (Nube) apontam que se o estagiário passa de um ano trabalhando na empresa, a probabilidade de contratação é de 60% a 80%.
 
Hoje, na cervejaria Ambev, 94% dos vice-presidentes e diretores ingressaram na companhia como trainees. Já no Mercantil do Brasil, 40% dos 2.800 funcionários que trabalham no banco atualmente já participaram do programa de estágio da instituição. “Com a crise, as vagas mensais foram reduzidas de 10 para cinco, em média. Mas não abrimos mão do programa, que funciona desde 2001. O jovem chega sem vícios e oxigena as bases da empresa”, diz o gerente de Capital Humano do Mercantil, Márcio Ferreira.
 
“O estudante mostra para a organização como o mundo está em transformação, por isso apostamos constantemente em novos talentos”, afirma a gerente corporativa de RH da Pif Paf Alimentos, Luciana Franco. Segundo ela, um processo seletivo, com 50 vagas, está em fase final.
 
Após um ano como estagiário na Pif Paf, o estudante de administração Fábio Lopes recebeu a notícia que tanto sonhava. Virou assistente jurídico da empresa há um mês. “Fiquei muito feliz, ainda mais sabendo que vivemos dias conturbados”, diz.
 
Para o diretor do grupo Selpe, Robson Fonseca Barbosa, o mercado em retração é mais um obstáculo para o jovem, que busca o primeiro emprego. “O estagiário ou trainee deve ter energia e disposição, aceitar críticas e não faltar ao trabalho”, recomenda.
 
O processo da cervejaria Ambev atraiu 42 mil candidatos no ano passado. Foram 24 vagas, ou seja, 1.750 pessoas na disputa por uma oportunidade
 
Programas de trainees e estágios são porta de entrada para grandes empresas