Centenas de manifestantes em Londres pressionam os legisladores britânicos a evitar que o país promova ataques aéreos contra o grupo Estado Islâmico na Síria. Com os gritos de "Não bombardeiem a Síria", as pessoas se reuniram neste sábado em frente ao número 10 da Downing Street, escritório do primeiro-ministro David Cameron. O protesto também é realizado em outras cidades britânicas.

A Força Aérea Britânica já fez parte de uma coalizão liderada pelos Estados Unidos que atacou grupos extremistas no Iraque. Na última quinta-feira (26), Cameron defendeu que os ataques ao Estado Islâmico na Síria devem "Temos que acertar esses terroristas em seus redutos", disse o primeiro-ministro.

O governo tenta construir uma base de apoio entre os legisladores para a ação militar, antes de chamar uma votação no Parlamento, que pode acontecer na próxima semana. O principal grupo de oposição a Cameron, o Partido Trabalhista, está dividido sobre o tema. O líder do partido, Jeremy Corbyn, diz que vai se opor aos ataques aéreos, mas muitos legisladores trabalhistas declaram apoio à ação militar. Fonte: Associated Press