Em reunião realizada nessa segunda-feira (5) com integrantes do diretório estadual do PSD-MG, e que contou com a presença do presidente nacional da sigla, Gilberto Kassab, o partido começou a decidir o futuro das candidaturas da legenda para o ano que vem nas 50 maiores cidades de Minas. Além da reeleição do prefeito Alexandre Kalil à Prefeitura de Belo Horizonte, o ex-prefeito de Montes Claros, Ruy Muniz, é pré-candidato na cidade do Norte de Minas, e o deputado estadual Rafael Martins manifestou interesse em disputar a prefeitura de Contagem.

Essa foi a primeira reunião do PSD para definir as estratégias do partido em Minas no pleito do ano que vem, que irá eleger novos prefeitos e vereadores em todo o país. Segundo o deputado estadual Cássio Soares, vice-presidente do PSD-MG, a ideia é que o partido expanda os quadros, mas priorize as cidades maiores, impulsionado por nomes de peso incorporados à legenda recentemente. 

“Tivemos um reforço de nomes de peso este ano, com a chegada do senador Carlos Viana e, mais recentemente, do prefeito Alexandre Kalil. Isso com certeza vai ajudar a impulsionar as bases do PSD em vários municípios do Estado”, disse.

Além de Gilberto Kassab, do prefeito Alexandre Kalil e de nomes importantes da legenda, como a ex-deputada federal Raquel Muniz e o ex-prefeito de Montes Claros Ruy Muniz, a reunião de ontem também contou com a participação dos deputados estaduais Cássio Soares, Duarte Bechir, Osvaldo Lopes e Zé Reis.

Segundo Soares, as orientações são para que o partido defina as candidaturas próprias nas 50 maiores cidades do Estado e que os escolhidos sejam indicados pela executiva estadual. “A tomada de decisão nos 50 maiores municípios vai ser da executiva estadual, para termos os nomes mais fortes possíveis e com bom diálogo no partido. Mas também queremos ampliar o número de prefeitos e vereadores. A ideia é que o partido seja o maior de Minas, e queremos oferecer opções aos mineiros na maior parte das 853 cidades do Estado”, diz Soares.

Prioridades

O PSD-MG pretende dar prioridade aos nomes do partido que manifestarem interesse em encabeçar uma chapa nas disputas municipais, como Ruy Muniz em Montes Claros e Rafael Martins em Contagem. 

“O Rafael Martins mostrou esse interesse para a prefeitura de Contagem, é um bom nome. Aliás, a tendência é o partido se expandir, principalmente com maior representatividade na Assembleia, no Congresso e nas prefeituras”, avalia Bechir. 

As reuniões no PSD-MG para definir o rumo do partido nas eleições de 2020 devem ocorrer quinzenalmente. Mas na próxima segunda-feira, dia 12, o partido realizará um encontro da executiva nacional para tratar sobre as comissões municipais em todo o Estado. 
“Vamos fazer o balanço das comissões que precisam ser eleitas, as que venceram e as que continuam na ativa. É um trabalho para começar a semear as candidaturas próprias”, analisa o deputado Cássio Soares.

Números 

Atualmente, o PSD conta com 55 prefeitos no Estado e 49 vice-prefeitos. No Congresso, são três deputados federais, incluindo o mineiro Diego Andrade, e um senador, o também mineiro Carlos Viana. O atual presidente da legenda em Minas Gerais é Alexandre Kalil, que assumiu o cargo no último dia 14 de junho como um dos principais reforços do PSD. Kalil ainda tenta atrair para o partido outros nomes de peso, como o senador Antonio Anastasia, atualmente filiado ao PSDB.