Após a cassação do vereador Cláudio Duarte, o primeiro a perder o mandato na história da Câmara Municipal, a direção do PSL em Belo Horizonte vai pedir a expulsão do vereador do partido. O presidente da legenda na capital mineira, Jandir Vieira, deu prazo até esta sexta-feira (9) para a desfiliação voluntária de Duarte. Caso contrário, o vereador cassado vai enfrentar um processo de expulsão na Comissão de Ética do PSL.

“Quando ele se filiou ao partido, nós tínhamos uma ideia de quem era o Cláudio. Depois dessa situação, ele foi convidado a se retirar do partido. Não podemos aceitar isso, não condiz com a postura do partido. Se ele resistir, vamos pedir a expulsão e o PSL está unânime nisso”, disse Jandir.

Caso o vereador não se desfilie do partido até esta sexta-feira, a Comissão de Ética do PSL em Belo Horizonte terá prazo de 30 dias para decidir sobre a expulsão de Duarte. “Não acredito que ele vá querer enfrentar esse processo. Já foi muito exposto e deveria facilitar as coisas depois de perder o mandato”, completa Jandir.

Cláudio Duarte teve o mandato cassado na última quinta-feira, dia 1º. Foram 37 votos pela perda de mandato e nenhum contrário. O ex-vereador do PSL chegou a acompanhar a sessão, mas após o resultado, deixou a Câmara pela porta dos fundos, amparado por assessores, chorando. Ele preferiu não comentar o resultado da votação.

O ex-parlamentar é acusado pela Polícia Civil de embolsar R$ 1 milhão com o esquema da “rachadinha”, prática ilegal de confiscar parte dos salários de seus funcionários. De acordo com as investigações da Polícia Civil, de apenas um funcionário, Duarte confiscava mensalmente R$ 10 mil, de um salário de R$ 11 mil. 

Procurado, o ex-vereador do PSL não foi encontrado para se manifestar sobre o assunto. O advogado dele, Vicente Rezende, não retornou o contato da reportagem.