Radicalismos do ‘nós contra eles’ ameaçam a democracia, afirma PPS que decide não apoiar ninguém

Agência Brasil
Hoje em Dia - Belo Horizonte
10/10/2018 às 14:52.
Atualizado em 10/11/2021 às 02:54
 (Arquivo/Tânia Regô / Marcelo Camargo / Agência Brasil)

(Arquivo/Tânia Regô / Marcelo Camargo / Agência Brasil)

A Comissão Executiva Nacional do PPS decidiu, nesta quarta-feira (10), em Brasília, manter a neutralidade no segundo turno da eleição presidencial.

Para o partido, as candidaturas de Jair Bolsonaro (PSL) e de Fernando Haddad (PT) “trazem a marca de uma conflagração que alimenta radicalismos políticos sob a insígnia do ‘nós contra eles’, que ameaçam o próprio processo democrático”, diz o documento aprovado pelos dirigentes do PPS.

Em nota, o partido lembra que, durante o processo eleitoral, defendeu uma candidatura apoiada por uma ampla coligação de centro e capaz de superar a polarização entre a direita, representada por Bolsonaro, e a esquerda, representada por Haddad, e declara-se neutro na segunda rodada de votação.

No texto, o PPS diz ainda que é uma instituição partidária democrática e decente, reitera seus compromissos com as reformas e a defesa da democracia, e que não apoiará nenhum dos dois candidatos que disputarão o segundo turno.

Compartilhar
Logotipo Hoje em DiaLogotipo Hoje em Dia

Fale conosco: (31) 3253-2207

ASSINEDigitalATENDIMENTO AO ASSINANTEBelo Horizonte 31 3236-8000Interior 31 3236-8000
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por