Um dos vários norte-americanos detidos pelos rebeldes xiitas no Iêmen foi libertado nesta segunda-feira (1º), disse uma autoridades dos EUA, enquanto uma refém francesa, sequestrada em fevereiro, apareceu em um vídeo pedindo socorro.

Os rebeldes, conhecidos como houthis, que capturaram a capital, Sanaa, no ano passado, tem sido alvo de uma campanha de ataques aéreos liderados pela Arábia Saudita, que tem o apoio dos EUA.

O acordo para liberar o norte-americano, que não foi imediatamente identificado, foi mediado por Omã.

A liberação do norte-americano, que tinha sido ferido em circunstâncias desconhecidas, ocorreu a caminho de Omã, de acordo com a autoridade dos EUA, que não estava autorizada a discutir publicamente o assunto por causa das regras de privacidade e falou sob condição de anonimato. Não há detalhes sobre a identidade do prisioneiro libertado.

Enquanto isso, um vídeo divulgado hoje mostra a francesa Isabelle Prime, consultora do Banco Mundial que foi sequestrada em fevereiro, pedindo ajuda. Ela foi sequestrada na cidade de Sanaa, junto com seu tradutor iemenita, que foi libertado pouco depois. Até então, ninguém sabia sobre o seu destino.

No vídeo, Isabelle Prime apareceu sentada no deserto vestindo uma túnica preta e com aspecto frágil. Ela direcionou o vídeo ao presidente francês, François Hollande, e ao presidente do Iêmen, Abed Rabbo Mansour Hadi, dizendo: "Por favor, leve-me à França rápido porque estou muito, muito cansada".

O porta-voz do Ministério do Exterior francês, Romain Nadal, disse que seu governo tem verificado a autenticidade do vídeo, que foi filmado em abril. Nadal disse que as autoridades do ministério irão se reunir com a família de Isabelle nesta terça-feira.

Nadal disse à Associated Press que o governo francês está "mobilizados para obter a libertação de Isabelle".

Fonte: Associated Press.