Duas empresas do setor metalúrgico envolvidas em um esquema de sonegação fiscal milionário foram alvos de uma operação da Receita Estadual, na manhã desta terça-feira (9). As investigações indicam que a fraude teria causado prejuízo de R$ 23 milhões ao Estado, mas conforme a Receita, o valor pode ser ainda maior.

A ação, que contou com o apoio da Polícia Militar, aconteceu em Montes Claros, no Norte de Minas, e em Ipatinga, na região do Vale do Aço. Segundo as investigações, os envolvidos das duas empresas são parentes e, por isso, a operação recebeu o nome de "Aços de Família".

Irregularidade

Conforme a Receita, os empresários negociavam ferro e aço sem as notas fiscais exigidas por lei. "Foi constatada uma disparidade entre as operações de entradas e saídas das empresas, sendo as saídas bem inferiores, o que sinaliza vendas sem a documentação fiscal. Uma clara situação de prejuízo aos contribuintes que trabalham de forma correta”, explicou a delegada da Receita Estadual em Ipatinga, Vilma Stoffel.

De acordo com Gilmar Soares, delegado da Receita Estadual em Montes Claros, além da concorrência desleal, o esquema resultava em outro prejuízo para a sociedade. “Também ficaram constatadas irregularidades em relação à falta de recolhimento de ICMS em operações interestaduais de aço importado. Isso prejudica duplamente o Estado, pelo aspecto tributário e também pelo emprego, já que Minas tem na siderurgia uma de suas principais vocações econômicas”, concluiu.

Além da exigência do pagamento do imposto, os envolvidos podem responder na Justiça por crime contra a ordem tributária.

Leia mais:
Servidor aposentado da Receita Estadual é investigado por esquema com empresários
Receita fiscalizará 7 mil contribuintes e quer recuperar R$ 164 bi
Governo cria comissão com membros da indústria e comércio para estudar mudanças no ICMS
Lojas Baby são alvo de operação por sonegação de R$ 9 milhões em impostos