Renault argentina deixa de importar Kwid brasileiro para não ferir lei de incentivo

Marcelo Jabulas
@mjabulas
19/10/2021 às 07:10.
Atualizado em 05/12/2021 às 06:04
 (Renault/Divulgação)

(Renault/Divulgação)

A Renault suspendeu as exportações do Kwid para o mercado argentino. O hatch popular produzido em São José dos Pinhais (PR) deixará de ser oferecido na terra dos hermanos por vender demais. 

Isso mesmo, a Renault argentina tirou o carrinho de linha pois sua performance fere a lei de Promoção de Investimentos na Indústria Automotiva. Trata-se de um projeto que foi apresentado em agosto para estimular o consumo de automóveis produzidos no país e também estimular a exportação.

Pelas regras do pacote, as marcas instaladas deverão dar prioridade aos modelos produzidos localmente. Em troca receberão incentivos como o Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA), taxa zero de exportação por 10 anos e redução do Imposto de Renda.

E o Kwid, mesmo vendendo irrisórias 3 mil unidades desde o início do ano, fez com que a filial argentina da Renault atuasse mais como importadora do que como fabricante. Daí, para gozar dos benefícios fiscais da nova regra, os executivos do país vizinho preferiram descontinuar as vendas do carrinho. 

Segundo o Autoblog Argentina, a marca confirmou a suspensão e justificou que a decisão segue as diretrizes do plano de fortalecimento da indústria local. Por aqui, o Kwid acumula quase 40 mil licenciamentos desde janeiro, segundo a Fenabrave. 

Assista também!

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por