Dzhokhar Tsarnaev, responsável pelo atentado terrorista durante a maratona de Boston, em 15 de abril de 2013, que matou três pessoas e deixou mais de 260 feridas, foi condenado à pena de morte nesta quarta-feira. Ao falar publicamente pela primeira vez desde o ataque, Tsarnaev, de 21 anos, pediu desculpas pelos seus atos logo antes de ouvir a sentença.

"Eu peço desculpas pelas vidas que eu tirei, pelo sofrimento que eu causei e pelos estragos que fiz - estragos irreparáveis", disse Tsarnaev, que foi responsável pelo ataque junto com seu irmão mais velho, Tamerlan Tsarnaev, morto durante emboscada da polícia.

Ele pediu desculpas para as vítimas e afirmou que conheceu o nome e as caras de muitas delas e rezou por elas. Referindo-se ao ataque, ele declarou: "Eu sou culpado. Se ainda há alguma dúvida sobre isso, agora não há mais".

Sua declaração de cinco minutos incluiu referências religiosas e pedidos para que Alá cure os que foram afetados por seus atos e "para (Alá) ter clemência sobre mim, meu irmão e minha família".

A sentença, declarada pelo juiz federal George O'Toole, foi uma formalidade. Um júri federal já havia sentenciado Tsarnaev à pena de morte em maio, no pior ataque em solo americano desde 11 de setembro de 2001.

"É trágico, tanto para as vítimas quanto para você, que você tenha se deixado levar", disse o juiz para o réu. De acordo com O'Toole, Tsarnaev justificou seus atos ao convencer-se de que as vítimas não eram inocentes.

A declaração de Tsarnaev ocorreu após três horas de testemunho de vítimas do ataque e de seus familiares, que puderam, pela primeira vez, confrontar o responsável e contar sobre a influência do atentado em suas vidas, que chamaram de ato "covarde" e "nojento".

"Ele escolheu não fazer nada para impedir que tudo isso acontecesse e ele escolheu seguir seu irmão e participar desse crime de ódio", disse Bill Richard, pai de Martin Richard, de 8 anos, a vítima mais jovem do atentado. "Ele escolheu o ódio, ele escolheu a destruição, ele escolheu a morte. Isso está nele. Nós escolhemos o amor, a bondade, a paz. Essa é a nossa resposta para o ódio. Isso é o que nos torna diferente dele", afirmou, olhando diretamente para Tsarnaev. Fonte: Dow Jones Newswires e Associated Press.