As micro e pequenas empresas em Minas foram responsáveis em agosto por 64% das vagas de emprego geradas no Estado, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia. Ao todo, esses dois segmentos geraram 18 mil dos 28 mil postos de trabalho abertos naquele mês.

Os destaques entre as micro e pequenos empresas ficaram com a construção civil, que criou 5.453 empregos, seguida pela indústria (5.229), comércio (4.248) e serviços (3.695). O setor agropecuário foi o único na contramão desse desempenho positivo, tendo cortado 525 postos de trabalho em agosto.

“Isso confirma a tendência de retomada da economia, após forte queda provocada pela pandemia do coronavírus”, avalia o superintendente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas em Minas Gerais (Sebrae Minas), Afonso Rocha.

Por subsetores, os melhores desempenhos das MPEs foram na construção de edifícios, com a geração de 1.657 postos de trabalho em agosto, obras e montagem industrial (940) e o transporte rodoviário de carga, com 831 vagas de emprego.

Além da retomada da economia, a necessidade de investir mais nas vendas on-line levou a empresária Rafaela Simões Alcântara, da Sotilé, que comercializa moda íntima, a contratar uma assistente de marketing em agosto, para auxiliar na divulgação dos produtos nas redes sociais. 

“Agora estou à procura de uma vendedora e de uma pessoa para ser assistente administrativo, mas não estou encontrando por falta de qualificação, porque a vendedora tem que saber mexer no Facebook, Instagram e WhatsApp, por exemplo”, afirma.

As oportunidades de trabalho foram alavancadas na Sotilé também após a criação das lives de vendas, uma novidade que tem impulsionado a comercialização de produtos como pijamas e lingeries. “O virtual aumentou muito as vendas e a maioria dos produtos é entregue por motoboys”, conta Rafaela Simões.

Fim de ano
A assistente da Unidade de Inteligência do Sebrae Minas, Gabriela Martinez, acredita que de agora até o final do ano as contratações devem manter a retomada. “Juntando o reaquecimento da economia com a expectativa das festas de final de ano, a expectativa é positiva”, salienta. Segundo ela, a melhora nas ocupações cresceu na mesma proporção da reabertura das atividades no Estado.

Ranking
Por município, ainda segundo informações do Sebrae Minas, Belo Horizonte ficou na liderança na geração de empregos entre as MPEs em agosto, com 2.189 vagas, seguida por Uberlândia (1.016), Contagem (650), Nova Serrana e Varginha (469 cada).

Já os piores desempenhos ficaram com Três Marias (-68 postos de trabalho), Ibiá (-61), Campos Altos (-57), Ponte Nova (-35) e Monte Carmelo (-31).