O comitê de crise do governo federal para tratar da tragédia em Brumadinho (MG) se reunirá às 18 horas deste sábado (26). O encontro servirá para detalhar o que o presidente Jair Bolsonaro prometeu de ajuda ao governo de Minas Gerais. Bolsonaro visitou mais cedo a região atingida pelo rompimento de uma barragem de rejeitos na cidade mineira. Dentre as medidas que poderão ser adotadas pelo governo federal está a liberação de recursos do FGTS e do Bolsa Família para as pessoas atingidas.

O Comitê de Gestão e Avaliação dos Desastres da Ruptura da Barragem do Córrego de Feijão, em Brumadinho, e o Conselho Ministerial de Supervisão dos Trabalhos foram criados nessa sexta-feira (25) por decreto do Bolsonaro. Os trabalhos são coordenados pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. Também participam dos grupos os ministérios da Defesa, Meio Ambiente, Minas e Energia, Direitos Humanos, Saúde, Gabinete de Segurança Institucional e Advocacia-Geral da União (AGU).

Ao chegar ao Palácio da Alvorada, Bolsonaro saiu do carro e falou rapidamente com jornalistas. "Uma tragédia. Vou trabalhar para que novas não aconteçam. O governo federal e o estadual tomaram todas as providências de imediato para ajudar a minimizar a dor dos familiares. Estamos tomando todas as providências para ajudar as famílias", disse.

Bolsonaro ressaltou que o trabalho agora "é basicamente a busca de desaparecidos". Infelizmente, pode aumentar muito o número de mortos". Questionado se pretendia aumentar o rigor para evitar novas tragédias, Bolsonaro apenas respondeu: "Tudo é importante".

Leia mais:

Jair Bolsonaro aceita ajuda de Israel para busca de desaparecidos

Chuva atinge Brumadinho e preocupa equipes de resgate

Jipeiros e operadores de drones se mobilizam para ajudar em Brumadinho