Saúde dos bichos começa pela higiene bucal bem feita

Izabela Ventura - Do Hoje em Dia
04/08/2012 às 12:22.
Atualizado em 22/11/2021 às 00:10
 (André Brant)

(André Brant)

A boca de cães e gatos é semelhante à do ser humano, e todos têm propensão às mesmas doenças nessa parte do corpo. O problema é que, enquanto as pessoas escovam os dentes pelo menos três vezes ao dia e vão ao dentista regularmente, os animais não costumam receber tratamento adequado. As informações são de especialistas em odontologia para pequenos animais, que ensinam como manter a saúde bucal dos pets em dia.

“Se, mesmo com todos os cuidados e infraestrutura, os humanos têm problemas bucais, imagine os animais de estimação que não são tratados corretamente”. É o que alerta o responsável pela área odontológica do Hospital Veterinário da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Awilson Viana.

Segundo ele, o problema mais recorrente nas bocas dos cães e gatos é a doença periodontal, que atinge todas as estruturas ao redor dos dentes: osso, gengiva e ligamentos. A evolução do processo infeccioso e inflamatório pode levar à perda do dente e, consequentemente, da qualidade de vida do animal, que terá dificuldades para se alimentar.

Outra doença grave, conforme o veterinário, é a estomatite, uma inflamação das mucosas da cavidade oral que causa muita dor e mau hálito. Mas os animais também podem ter, ao longo da vida, cáries e fraturas dentárias. Essas são motivadas por traumas em situações como quedas ou mordida de algo muito duro. “Todas essas patologias estão relacionadas à falta de cuidado dos donos com o animal”, frisa Awilson.

Infecções graves

De acordo com a odontoveterinária Fabiana Raggi, se o tártaro cair na corrente sanguínea, o animal pode ter sérias infecções em outros órgãos. É o que ela está tentando evitar que aconteça com Nina, uma chihuahua de 12 anos. Ela tem um quadro avançado de doença periodontal e, provavelmente, terá um dente extraído.

Para garantir a saúde bucal dos pets, o ideal é levá-los ao odontoveterinário semestralmente e escovar os dentes deles todos os dias. “A primeira consulta deve acontecer quando filhote, para o profissional passar as recomendações certas”, orienta Fabiana.

A especialista explica também que cães de raças de pequeno porte, como lhasa apso e yorkshire, merecem atenção especial. Isso porque, geralmente, os dentes incisivos e caninos não caem sozinhos para a troca. É preciso extraí-los para não nascerem encavalados.

Outra dica de prevenção é dar rações secas e muitos brinquedos e petiscos duros aos bichos. “Além de diverti-los, eles ajudam a limpar os dentes”, destaca a veterinária.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por