SÃO PAULO (SP) – Foi-se o tempo em que o Salão de São Paulo era palco para lançamento de modelos mundanos. Este ano, os modelos de entrada foram relegados aos cantos de estandes e não houve anúncios de novos espartanos na praça. Por outro lado, não faltaram modelos milionários, de encher os olhos, como o McLaren Senna, que veio apenas fazer vontade, pois as quatro unidades para o Brasil já tinham sido vendidas há meses por R$ 8 milhões. Hoje, já valem quatro vezes isso.

Uma opção para quem busca um modelo Street Legal (carro de competição homologado para uso urbano) pode ser dar um pulo na Porsche e encomendar um 911 GT2 RS. Não informam o preço, mas se o amigo achar caro, o GT3 RS pode sair por R$ 1,24 milhão.

Para quem gosta de carros exóticos, é possível lamber com a testa beldades como a Ferrari F12 Superfast, assim como as irmãs Portofino, 488 Spyder e 488 Pista. Por outro lado, os imensos motores italianos não são sinônimo de eficiência e se você procura emoção sem atacar o meio ambiente, seu carro é o Mercedes AMG Project One. A má notícia é que as três unidades destinadas ao Brasil já têm dono.

Se o amigo é um sujeito que privilegia o conforto e não abre mão de um jipão, pode optar por um Rolls-Royce Cullinan. O lorde dos utilitários está à venda por módicos R$ 4 milhões. Mas, acredite, é a única maneira de programar um acampamento rústico, viajando de primeira classe.

Caso o nobre leitor opte por um modelo mais citadino, não custa nada orçar quanto custará uma unidade do Rolls Phantom.