A primeira celebração no Brasil em homenagem à Santa Dulce dos Pobres foi realizada neste domingo, 20, na Arena Fonte Nova, em Salvador. A expectativa é de que 55 mil pessoas acompanhem a extensa programação, que inclui apresentações musicais, espetáculo teatral e missa presidida por dom Murilo Krieger, arcebispo da capital baiana.

Os portões abriram às 12h, mas desde cedo devotos da santa baiana já esperavam nas filas para garantir o melhor lugar. Foi o caso de Joaquim Albuquerque, de 66 anos, que chegou às 7h para garantir o primeiro lugar na fila em um dos setores do estádio. Ele viajou do Rio Grande do Norte para a Bahia para assistir à celebração, em agradecimento por uma graça alcançada.

"A conheci quando morei aqui, ela ainda era Irmã Dulce. Depois voltei para meu Estado. Um mês atrás, eu adoeci. Tive uma infecção intestinal muito séria. Me peguei com ela e pedi que fizesse a vontade do Senhor. Hoje estou aqui, curado, só agradecendo", contou Albuquerque, emocionado.

Todo tipo de homenagem pode ser vista entre os devotos. A artista plástica Ivana Lemos Justo, de 55 anos, trouxe duas de suas obras, um busto e uma imagem de Irmã Dulce. Ela lamentava que não poderia entrar na Fonte Nova com as peças.

"A obra dela me emociona muito e meus trabalhos são sempre relacionados ao que me toca, é como uma obrigação", diz Ivana. "Desde criança eu conhecia as obras dela, o trabalho nos Alagados (localidade de Salvador). Hoje minha filha é enfermeira nas Obras Sociais Irmã Dulce", afirmou.

A programação foi iniciada às 12h30, com apresentações musicais. Haverá participação de artistas como Margareth Menezes, Saulo, Adelmario Coelho, Targino Gondim e o tenor Thiago Arancam.

Irmão Dulce tornou-se santa no domingo passado, 13, em cerimônia realizada no Vaticano pelo papa Francisco.