Enquanto fabricantes instalados rebolam para conseguir semicondutores, driblar a cotação do dólar e demais lamúrias que não cansam de tecer, o mercado de carros de luxo vive uma realidade própria. Audi, Mercedes, BMW, Land Rover, Mini e Volvo se revezam em anúncios nada modestos. Até a Ford, que passou o cadeado nas fábricas, entrou nessa onda de ser marca de rico.

E nessa toada, Audi acaba de abrir pré-venda do RS e-tron GT. O super cupê elétrico chega ao Brasil por R$ 950 mil para ampliar a linha “sem escapamento”, que já conta com os SUVs e-tron e e-tron Sportback (que foi apresentado novamente).

Famoso por sua aparição em “Vingadores: Ultimato”, o carro de Tony Stark é a versão do Porsche Taycan com quatro argolas. Os dois compartilham base e bastante de sua arquitetura e componentes elétricos e mecânicos. E como se trata de um carro de baixo volume, a Audi optou por trazer apenas a versão RS, que se posiciona no topo da gama e tem atributos para se destacar no milionário mercado de elétricos.

O carro

O RS e-tron GT conta com dois motores que entregam 598 cv e 84,6 kgfm de torque, além do modo Boost, que amplifica a potência para 646 cv durante 2,5 segundos. Assim o RS e-tron GT acelera de 0 a 100 km/h em 3,3 segundos e atinge máxima de 250 km/h. E por ter dois motores, sua tração é integral, o que torna sua dirigibilidade mais dinâmica e precisa.

Para dar conta de todo esse apetite por elétrons, o sistema de bateria de íons de lítio do RS e-tron GT armazena 93 kWh de energia, que rende 472 quilômetros de autonomia. Conjunto conta com 33 módulos, cada um deles compreendendo 12 células com revestimento externo flexível. Com potência de 800 Volts, o sistema permite recarga mais rápida que as baterias convencionais. 

Numa tomada padrão de 220V em corrente alternada, a Audi garante que ele regenera as pilhas durante uma noite de sono, em 11 kW. Já num terminal de corrente direta é possível elevar para 270 kW. Na prática, significa 100 km em pouco mais de cinco minutos. A carga até 80% demora menos de meia hora. 

Por dentro

O RS e-tron GT conta com o que há de mais moderno na gama Audi. O cupê oferece quadro de instrumentos digital, multimídia com conexão para smartphones, assistentes de condução, acabamento impecável e sistema de áudio premium. E por falar em som, o modelo conta com um ruído artificial.

Isso mesmo! Por ser elétrico, o carro tem um barulhinho bem discreto. Assim a Audi aplicou um ronco de mentirinha para não deixar o carro monótono. Mas ele só é ouvido no interior do carro. Lá fora é como se George Jetson tivesse ganhado na loteria.

“A chegada ao mercado brasileiro do Audi RS e-tron GT e do Audi e-tron S Sportback é mais uma demonstração clara do compromisso da Audi do Brasil em oferecer uma mobilidade cada vez mais sustentável, mas sem abrir mão da inovação e da esportividade. Afinal, com esses dois novos e eletrizantes produtos, sendo um o mais potente e o outro o com maior torque do mercado de luxo, ampliamos ainda mais a nossa liderança em eletrificação, com a maior oferta de veículos 100% elétricos do Brasil”, explica o presidente e CEO da Audi do Brasil, Johannes Roscheck.

Mobilidade sustentável é para poucos brasileiros, não é, caro Johannes?