A unidade de hospedagem em Juiz de Fora, na Zona da Mata, foi fechada pelo Serviço Social do Comércio (Sesc) no último fim de semana. Por causa da grave crise econômica do país, a instituição está fazendo uma avaliação sobre as outras estruturas no Estado. Há ainda 12 unidades dedicadas a hospedagem em Minas, além da pousada em Grussaí, no Rio de Janeiro.

De acordo com o Sesc Minas, a unidade de hospedagem de Juiz de Fora manteve, em 2019, uma taxa de ocupação de menos da metade da sua capacidade e exigia que a instituição subsidiasse mais de 70% de seus custos.

“A iniciativa busca garantir que a instituição possa seguir atendendo seu público prioritário com atividades fundamentais nas áreas de saúde e educação, por exemplo”, afirmou o Sesc por meio de nota. As atividades de lazer que eram realizadas no local serão transferidas para a unidade do Centro de Juiz de Fora (av. Barão do Rio Branco, 3.090, Centro), onde acontecem cursos de capacitação e ações nas áreas de esporte, cultura e educação.

Das 33 pessoas que trabalhavam na pousada, cinco foram transferidas para a unidade do centro, enquanto as outras foram demitidas. Ainda não há previsão do que será feito com a estrutura da pousada e, enquanto não houver uma definição, a manutenção do espaço continua a ser feita pelo Sesc.

Turismo do Sesc

De acordo com a instituição, em média 220 mil clientes utilizam a rede de hospedagem do Sesc Minas, mas as unidades têm capacidade para atender um público superior ao dobro deste número.

As unidades que passam por estudos similares têm hoje taxa de ocupação inferior a 40%, mas a instituição não informou quais são elas. As pousadas oferecem preços convidativos para comerciários e associados, que podem usufruir dos quartos, de café da manhã, piscinas e atividades programadas por cada unidade. Algumas delas estão localizadas em cidades turísticas, como Ouro Preto, Araxá e Poços de Caldas.