SEUL - O número de mortos pela síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS, na sigla em inglês) subiu para quatro na Coreia do Sul, com mais de 40 casos registrados no país. As vendas de máscaras cirúrgicas dispararam, em meio aos temores ante esse vírus mortífero e pouco conhecido, enquanto as companhias aéreas anunciaram que intensificarão medidas profiláticas.

Como no caso de epidemias anteriores, como a Sars, que matou centenas, ou a gripe aviária, há bastante agitação entre os sul-coreanos por causa da MERS. Há confusão, enquanto a imprensa repisa o problema do pânico crescente do público e funcionários do setor de saúde e do governo trabalham para entender e conter o problema, em alguns momentos minimizando os riscos, em outro inadvertidamente enfatizando-o. Mais de 1.100 escolas fecharam e 1.700 pessoas estão em quarentena, bem como 17 camelos em zoológicos.

Não há vacina para prevenir a doença e a taxa de mortalidade é alta. A Coreia do Sul é o país com mais casos exceto a Arábia Saudita, onde a maioria dos mais de 1.100 casos do mundo foram registrados, desde que a doença apareceu em 2012.

Os casos na Coreia do Sul estão ligados a um homem de 68 anos que viajou para o Oriente Médio. Ele adoeceu ao voltar, no mês passado, e visitou dois hospitais e outros locais, criando várias oportunidades de exposição ao vírus para funcionários do setor de saúde e outros pacientes, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). O homem foi isolado.

A taxa de mortalidade da MERS é estimada em entre 30% e 40%, segundo o virologista Nicolas Locker, da Universidade de Surrey. Os sintomas são febre, tosse, dificuldade de respirar, com um período de incubação do vírus de entre cinco a seis dias. A transmissão ocorre através do contato próximo com pessoas, mas acredita-se que os camelos também disseminem a doença.

Não há sinais, porém, de que a MERS está se disseminando pela Coreia do Sul. As quatro pessoas que morreram eram idosas e já tinham problemas respiratórios, segundo o Ministério da Saúde sul-coreano. Lavar as mãos, cobrir a boca ao tossir e não tocar sua face com as mãos sujas são atitudes que ajudam a evitar a doença, segundo especialistas. A MERS não passa pelo ar e só pode ser transmitida pelo contato próximo, dizem eles. Fonte: Associated Press.