Apesar do cenário de crise econômica e de indefinição dos rumos políticos do Estado e do país, o setor supermercadista em Minas espera crescer entre 2,5% e 2,8% em 2018, com faturamento de R$ 35,73 bilhões. As vendas de fim de ano devem contribuir para esse resultado, com aumento de 2,5% ante 2017. Com expectativa de lojas cheias com a proximidade do Natal, mais de 3 mil funcionários temporários devem ser contratados. 

“Já estamos preparados para o aumento do fluxo de clientes. Só em colaboradores temporários serão 3,3 mil contratados que estarão nas lojas já em novembro. Desse total, queremos efetivar 15%”, afirmou o presidente da Associação Mineira de Supermercados (Amis), Alexandre Poni, durante abertura da 32ª edição do Congresso e Feira Supermercadista e da Panificação (Superminas Food Show 2018). O evento, o segundo maior do país no segmento, acontece até 18 deste mês no Expominas, em Belo Horizonte. 

Segundo Alexandre Poni, neste ano, as empresas investiram R$ 440 milhões para a abertura de 60 novas lojas no Estado e na reforma de outras tantas, com a criação de 7 mil postos de trabalho.

Sem falar em projeções para 2019, o dirigente garantiu que o setor tem “praticado a máxima de que crise é sinônimo de oportunidade”. “Estamos nos adequando e temos mantido os investimentos porque os clientes estão cada vez mais exigentes”, destacou.

Panificação

Já a indústria mineira da panificação reviu para baixo a meta de crescimento para 2018, conforme o presidente da Amipão e da Associação Brasileira da Panificação e Confeitaria (Abip), José Batista de Oliveira. 

“Da meta inicial de 3%, se alcançarmos 1,3% será um percentual histórico considerando-se a alta do dólar, que impactou o preço da farinha de trigo, e também o aumento da tarifa de energia elétrica, que é um dos insumos da nossa linha de produção”, frisou.

Mesmo assim, José Batista não acredita que haverá aumento de preços do pão até o final do ano. Ele também não adianta números para 2019. “As empresas têm segurado os custos nesses tempos de crise econômica e de desemprego. Temos nos adaptado para manter a competitividade. A Superminas é uma excelente oportunidade para melhorar os processos e qualificar os nossos profissionais”, enfatizou.

Superminas 

A expectativa dos organizadores da Superminas é atingir a marca de R$ 1,85 bilhão em negócios, mesmo montante gerado na feira do ano passado. São esperados 54 mil visitantes. 

Nos 484 estandes, os expositores vão apresentar lançamentos de 350 produtos e serviços direcionados para lojas e indústrias de alimentos. Estão previstos, também, 70 atividades paralelas como cursos, workshops e palestras direcionadas para empresários e profissionais. 
 


A expectativa dos organizadores da Superminas é atingir a marca de R$ 1,85 bilhão em negócios, mesmo montante que em 2017