Uma onda de solidariedade varre Taquarituba, cidade de 23 mil habitantes no sudoeste paulista atingida por um tornado há uma semana. Doações de todas as partes do Brasil enchem o ginásio de esportes e lotam o almoxarifado da prefeitura, além de igrejas, transformadas em centros de atendimento. Até sexta-feira, havia alimentos para 2 mil cestas básicas, mais de 40 mil peças de roupas e uma dezena de caminhões com material de construção.

A coordenadora da distribuição, Natali Fonseca, chegou a recusar mais roupas e cobertores. "Pedi para quem já está com material arrecadado que distribua na própria cidade, em vez de mandar para cá." A conta SOS Taquarituba, aberta no Banco do Brasil, havia recebido mais de R$ 120 mil em doação.

Os números da tragédia, registrados até sexta-feira pela Defesa Civil e pela prefeitura, eram de prejuízo de até R$ 200 milhões, incluindo o período de paralisação na produção. O Estado vai ajudar a reconstruir a rodoviária, o galpão de agronegócios e o centro esportivo.

Mas a sociedade civil também se organizou: empresários se uniram ao padre José Sérgio de Lima, da Paróquia de São Roque, para atender os moradores do bairro Santa Virgínia, uma das regiões pobres mais atingidas. Cerca de cem voluntários arrecadam e distribuem alimentos, roupas de cama, cestas básicas e materiais de construção. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.