Motoristas de táxi fizeram um protesto nesta quinta-feira (25) em Paris, exigindo o fim da presença do aplicativo Über na França. Eles queimaram pneus em Porte Maillot, uma das principais entradas da capital francesa, lançando ainda pedras contra a polícia antidistúrbio.

A guerra entre taxistas e o serviço de carros Über Technologies tomou as ruas da França nesta quinta-feira, com milhares de taxistas parando o trânsito na capital e em outras cidades. Eles bloquearam vias que levavam para os principais aeroportos parisienses e para estações de trem e houve discussões entre os operadores do Über e taxistas.

"Eu estou mais segura em Bagdá", escreveu no Twitter a cantora Courtney Love, dizendo que taxistas emboscaram o carro em que ela estava, que havia partido do Aeroporto Charles de Gaulle, e atingiram o veículo com bastões de metal. Love disse que escapou usando um mototáxi, enquanto os taxistas jogavam pedras.

A disputa na França ocorre enquanto o Über enfrenta oposição regulatória em mercados pelo mundo. Tribunais na Espanha, Alemanha, Itália e Holanda já proibiram o Uberpop. Nesta semana, a polícia da Indonésia abriu uma investigação sobre a empresa.

Hoje, o ministro de Interior da França, Bernard Cazeneuve, afirmou que pediu aos chefes de polícia que emitam decretos proibindo o serviço. Ele também pediu a promotores que abram investigação contra o Über. Uma lei aprovada no ano passado no país prevê que sistemas operacionais como o Uberpop podem ser punidos com multas de até 300 mil euros e dois anos de prisão para os responsáveis.

O Über já afirmou, porém, que não deixará de oferecer seu serviço até que alguma decisão judicial o obrigue a isso. "O governo está apenas tentando fazer barulho para acalmar os taxistas", disse Pierre-Dimitri Gore-Coty, diretor para Europa Ocidental do Über. Segundo ele, nenhum tribunal decidiu que o serviço é ilegal. O Über respondeu à nova lei francesa com várias apelações na Justiça da França e na União Europeia, argumentando que a norma é discriminatória e viola o princípio da liberdade de empreender. O tribunal constitucional da França deve se pronunciar sobre a questão nos próximos meses.

Taxistas de outros países se uniram ao protesto da França, para mostrar solidariedade aos colegas francesas contra o Über. Houve manifestações, por exemplo, na Espanha e no Reino Unido, mas nesse caso somente de alguns taxistas. Fonte: Dow Jones Newswires.