Uma semana antes da abertura do Salão do Automóvel de São Paulo, em novembro de 2018, a Ford convocou a imprensa para uma pomposa coletiva num hotel de alto luxo na capital paulista. Era uma prévia do que ela iria exibir no salão. E a grande sensação foi o utilitário-esportivo (SUV) Territory, vendido na China e que poderia ser o representante da marca do Oval Azul no segmento comandado pelo Jeep Compass (que anota mais de 35 mil unidades este ano). Mas o assunto esfriou e só agora a Ford resolveu confirmar que o modelo chegará em 2020.

O Territory será importado da China, que segundo a fabricante garantirá preço competitivo, uma vez que os custos de produção na terra dos pandas são bastante inferiores aos praticados por aqui. No entanto, já foi dito à boca miúda que o carro chegará com preços na ordem de R$ 160 mil, patamar praticado por concorrentes como 3008, Equinox, Tiguan Allspace e o próprio Compass.

Mas a chegada de um produto importado da China, ao invés de nacionalizá-lo ou produzi-lo na Argentina, é uma mostra da delicada situação da Ford por aqui. Em fevereiro ela fechou a fábrica de São Bernardo do Campo e mais uma vez cobra mudanças na política fiscal, como foi enfatizado pelo presidente da Ford América do Sul, Lyle Watters, na apresentação do SUV. 

Motor e câmbio
A Ford, como é de praxe, não confirma qual será o motor que equipará o SUV, mas é apontado que ele estreie com uma unidade EcoBoost 1.5, dotada de turbocompressor e injeção direta, combinado com transmissão automática, que também não teve detalhes mais amplos divulgados. Aos poucos a marca irá entregar mais informações sobre o carro. Essa estratégia é antiga na Ford.

Conteúdos e dimensões
O Territory é um SUV com aproximadamente 4,6 metros de comprimento e cerca de 2,7 metros de distância entre-eixos. A julgar pelo carro exibido no ano passado e o mais recente, o consumidor pode esperar por utilitário que oferece muito conforto e refinamento. 

Ele contará com acabamento em couro, com direito a apliques em madeira, teto solar panorâmico, multimídia de 10,2 polegadas, controle de cruzeiro adaptativo (ACC), assistente de manobra e câmera 360°, dentre outros equipamentos que podem ajudar o consumidor a olhar para um carro chinês sem torcer o nariz.