Das vezes que testei o Honda HR-V sempre surgiu a mesma inquietação. O carro é legal, bem construído, confortável, silencioso, mas faltava alguma coisa. Na verdade, faltava vigor. Não chegava a ser tão esquálido como o Kicks ou Captur 1.6, mas não era capaz de empolgar. Isso porque o motor 1.8, apesar dos respeitáveis 140 cv, não entregava mais que 17 mkgf (num giro bem elevado). Esse problema foi resolvido com o motor 1.5 turbo, que elevou a oferta para 22,5 mkgf de torque, a baixos 1.500 rpm.

Mas não acredite que ele se tornou um velocista, como um BMW X2 M ou Audi RS Q3. Na verdade, ficou mais ágil, com retomadas mais vigorosas, sem a necessidade de levar o conta-giros à faixa vermelha. Ainda assim, é verdade que os 173 cv também permitem atingir velocidades elevadas com mais facilidade. Mas seu negócio é ser eficiente, com marcador batendo os 12 km/l na cidade. Vale lembrar que ele só bebe gasolina.

 

Excesso de sódio 
O grande problema é que essa versão ficou extremamente cara. São R$ 139.900 – mais caro até mesmo que o Civic Touring (R$ 135 mil). O único SUV compacto mais caro que ele é o Jeep Renegade Trailhawk, que utiliza motor turbodiesel 2.0 de 170 cv e 35 mkgf de torque, além de um sistema de tração 4x4 que faz dele um off-road nato, proposta diferente daquela do HR-V.

O preço salgado é sentido no saguão das concessionárias. Numa conversa com um vendedor, ele confidenciou que o preço assusta o consumidor, que acaba optando pelas versões mais baratas, como a EXL (que custa quase R$ 30 mil a menos) ou até mesmo pender para o Civic.

Uma das razões para o valor elevado é o fato de o motor 1.5 turbo ser importado, assim como a adoção de uma caixa CVT mais robusta para dar conta do torque mais bravo da unidade. 

Para tentar justificar o preço, a marca caprichou no acabamento em couro claro, teto solar panorâmico e até mesmo câmera para conversões à direita.

Raio-x Honda HR-V Touring 1.5

O que é?
Utilitário-esportivo (SUV) compacto de cinco lugares.

Onde é feito?
Produzido na unidade Sumaré (SP).

Quanto custa?
R$ 139.900

Com quem concorre?
Na versão Touring, se posiciona como um dos SUV’s compactos mais caros do mercado, ficando abaixo apenas da versão topo de linha do Jeep Renegade, a Trailhawk (R$ 146 mil).

No dia a dia
O HR-V Touring segue o mesmo padrão de conforto e comodidade das demais versões. A boa qualidade do acabamento (com forração em couro nos bancos, portas e console central, além de material emborrachado), a construção e o isolamento acústico (que anula boa parte do ruído externo) fazem do HR-V um automóvel extremamente acolhedor. A versão ainda ostenta um generoso teto solar panorâmico. 

Trata-se de um carro que oferece ótimo comportamento tanto no uso citadino quanto no rodoviário. O jipinho tem ótima posição para dirigir. Com 4,32 metros de comprimento e 2,61 de distância entre-eixos, não falta espaço para quatro ocupantes, e com lotação máxima, fica apertado, mas não insuportável. O porta-malas também é generoso, com 437 litros.

Um dos poucos inconvenientes do HR-V é o local das portas USB, num “pavimento” inferior do console, que tem acesso pouco prático.

Conteúdos
O pacote de conteúdos conta com direção elétrica, ar-condicionado digital, multimídia (com câmera de ré, duas portas USB, conexões Apple CarPlay e Android Auto, Bluetooth e navegador GPS), trio elétrico (travas, vidros e retrovisores elétricos), freio de estacionamento elétrico, rodas de liga leve aro 17 e faróis de neblina. 

Motor e transmissão
O motor 1.5 de 173 cv e 22,4 mkgf de torque é o mesmo que equipa o Civic topo de linha. Os 22,4 mkgf de torque estão disponíveis a partir dos 1.500 rpm, o que garante força ao utilitário a qualquer momento. Já a caixa CVT Large tem comportamento muito suave, mas com emulação de sete marchas que dão esportividade ao SUV.

Como bebe?
Abastecida com álcool, a unidade testada registrou média de 12 km/l no combinado entre trajeto urbano e rodoviário.

Suspensão e freios
A suspensão utiliza conjunto McPherson na frente e eixo rígido atrás. O acerto entrega boa estabilidade, sem prejudicar o conforto interno. Os freios contam com discos ventilados nas quatro rodas, com função Auto Hold que mantém as pinças pressionadas mesmo sem o pé no pedal. Ele oferece controle de estabilidade (ESP) e assistente de partida em rampa (Hill Holder).

Palavra final
O HR-V Touring é um carro praticamente à prova de críticas. Apesar de carecer de modernidades como quadro de instrumentos digital, ar-condicionado de múltiplas zonas e assistentes de condução, oferece tudo que o motorista realmente precisa no dia a dia. 

O que pesa contra a versão é o preço, exageradamente caro, o que tem assustado até mesmo os consumidores mais afoitos pelo jipinho.