Teste: Jeep Compass Limited 4x4 é opção de luxo para quem tem bolso farto

Marcelo Jabulas
@mjabulas
20/11/2021 às 10:41.
Atualizado em 05/12/2021 às 06:17
 (Marcelo Jabulas)

(Marcelo Jabulas)

O Jeep Compass foi um tiro certeiro na estratégia da Stellantis no mercado brasileiro. O SUV médio concorre com o irmão Renegade pela liderança geral do segmento de utilitários. 

Para se ter uma ideia o jipinho pernambucano é líder com 12,1% de participação e o Compass vem logo atrás com 10,9% dos licenciamentos, segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Isso significa que o Compass já vendeu quase 59 mil unidades de janeiro a outubro. Um desempenho notável para um carro que tem preços entre R$ 152 mil e R$ 256 mil.

E para manter o pique, a Jeep viu que era preciso ampliar as opções, para atender ao consumidor que busca um Compass por ser Compass e também quem quer o máximo de conteúdos que o utilitário pode oferecer. 

Topo de linha

E no alto da prateleira figuram as versões Trailhawk e Limited (equipadas com motor turbodiesel 2.0). Elas custam os mesmos R$ 232.990 iniciais. A diferença é que o primeiro tem foco no off-road e conta com pneus para uso todo-terreno, adesivos no capô (para dar um visual mais zangado) e ajuste de suspensão mais bruto. 

Já o Limited, também pode ir na trilha, mas sua pegada é mais urbana. O destaque fica para as rodas aro 19, duas polegadas a mais que na opção “matuta”. Esse carro pode ser equipado com tudo que a marca tem disponível na prateleira. Teto solar panorâmico, assistentes de condução e acabamento em couro marrom, opcionais que elevam o preço em R$ 20.400.

Assim, testamos a versão chique do Compass. O SUV passou pela primeira atualização de estilo, no primeiro semestre. Enquanto a versão flex ganhou novo motor 1.3 de 185 cv e um redesenho bacana na parte frontal, as versões diesel mantiveram o estilo mais robusto. O para-choque tem novas molduras e ângulo de ataque que privilegia acesso em terrenos acidentados.

Sob o capô o motor é o mesmo, mas ficou mais limpo. A Jeep adicionou sistema de tratamento pós-combustão para atender a nova geração das normas de emissões Proconve P8, que entra em vigor em 2023. 

Assim, o SUV passa a ser abastecido com Arla 32, fluido utilizado no tratamento de resíduos. Segundo a marca, cada tanque de 13 litros permite rodar 10 mil quilômetros. 

Raio-x Jeep Compass Limited TD350 2.0

O que é?
Utilitário-esportivo (SUV) compacto de cinco lugares.

Onde é feito?
Produzido na unidade de Goiana (PE).

Quanto custa?
Básico: R$ 232.990
Testado: R$ 255.790

Com quem concorre?
O Compass é o único SUV médio que combina motor turbodiesel e tração 4x4. Por ter um pegada mais urbana, o Limited disputa mercado com SUVs com tração integral como Mitsubishi Eclipse Cross e Outlander, assim como Chevrolet Equinox.

No dia a dia
O Compass é um SUV que atende a basicamente todas as necessidades cotidianas e também tem atributos para aventuras de final de semana, graças ao conjunto 4x4.

Com mais de 4,40 metros, o Compass oferece bom espaço de bagagem (410 litros) e para quatro ocupantes. Seu acabamento é impecável e pode receber couro em tom marrom. Destaque para o quadro de instrumentos digital e para o painel redesenhado, que deixaram o SUV mais refinado. 

O pacote de conteúdos ainda conta com direção elétrica, ar-condicionado automático de duas zonas, multimídia (Com Apple CarPlay, Android Auto, USB, Bluetooth e câmera de ré), trio elétrico (vidros, travas e retrovisores elétricos), freio de estacionamento e porta-malas eletrônicos, além de sensor de manobra (Park Assist).

O pacote opcional de assistência adiciona controle de cruzeiro adaptativo (ACC), monitor de permanência em faixa, leitor de placas de sinalização, ajuste automático dos faróis, alerta de colisão e frenagem de emergência e detector de pedestres. O SUV ainda pode ser equipado com teto solar panorâmico, banco do motorista com ajuste elétrico, abertura automática do porta-malas (com sensor sob o para-choque) e sistema de áudio Beats.

Motor e transmissão
O motor turbodiesel 2.0 de 170 cv e 35,7 mkgf de torque garante força de sobra. A unidade é combinada à transmissão de nove marchas e tração 4X4, com opção de reduzida (que na verdade é a primeira marcha), seletor de tipo de piso e bloqueio de diferencial. Tudo isso dá fôlego para esse jipe encarar qualquer tipo de terreno. 

Como bebe?
O consumo combinado entre urbano 9,3 km/l no combinado entre trajetos urbano e rodoviário.

Suspensão e freios
O Compass foi projetado para uso fora de estrada. Tem suspensão independente nos dois eixos, mas sem ser tão firme como na versão Trailhawk. Ou seja, dá conta de passar por qualquer irregularidade com facilidade, mas no uso cotidiano não penaliza o conforto e nem a estabilidade. No entanto, ele utiliza pneus de perfil baixo e rodas aro 19. O motorista deve tomar cuidado para não rasgar o composto num ato de valentia.

Para facilitar as frenagens, o SUV tem freios a disco nas quatro rodas, além de controle de partida em rampa (Hill Holder), freio de estacionamento eletrônico, HDC ( Controle eletrônico de velocidade em descidas), controles de estabilidade (ESC).

Palavra Final
O Compass Limited 4x4 é a opção para quem faz questão do motor turbodiesel e busca o máximo de refinamento. Ele é um carro apto para rodar no off-road, mesmo que seus “calçados” não sejam os mais apropriados. Para quem busca a lama, o melhor é optar pelo Trailhawk, que custa o mesmo.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por