O Golf GTI nos deixou há pouco tempo. Sem dúvidas, foi um dos modelos mais legais fabricados no Brasil, ao lado do Chevrolet Omega. Mas nem por isso os fãs ficaram desamparados. O Jetta GLI estreou no mercado há poucos meses e é capaz de entregar tudo aquilo que o hatch oferecia, com a vantagem de ter mais espaço interno e um generoso bagageiro.

A sigla GLI pode gerar confusão pela troca da consoante T pelo L. No entanto, trata-se de uma chancela muito popular nos Estados Unidos.

Com preço sugerido de R$ 144.990, é o médio mais caro do mercado, só perdendo para modelos premium alemães. Por outro lado, é o mais potente do segmento e tem acerto esportivo que não se vêm em rivais como Corolla, Cruze e nem mesmo no Civic Touring. 

 

Motor
Ele é equipado com o mesmo conjunto mecânico do Golf GTI, que combina a unidade TSI 2.0 de 230 cv e 35 mkgf de torque com uma caixa de dupla embreagem e seis marchas, que também equipam modelos mais sóbrios como o Passat e Tiguan Allspace R-Line 350. 

Mas no GLI tudo fica acentuado pela adoção de ponteiras de escapamento duplas, grandes rodas aro 18 e suspensão rebaixada. E para ampliar a percepção de esportividade ele tem um emulador de ronco do motor. Trata-se de um subwoofer que aciona um ruído mais vigoroso, quando se ativa o moto esportivo no seletor de condução. 

A razão disso se deve a um fator bastante plausível. Escapamento com ronco grave pode ser legal para um motorista jovem que busca sentir toda a brutalidade de seu automóvel (quem nunca teve um Chevette com escape aberto, pelo menos uma vez na vida?). Mas nem todo mundo que busca um sedã está disposto a suportar o ronco reverberando o tempo todo. Muitas vezes ele quer apenas mais potência. Assim, quando se trafega nos modelos Eco e Normal, é puro silêncio. 

Esse truque não é novidade. A Audi utiliza esse recurso há muitos anos em modelos como A1 Sport e S7 Sportback. A Ford também aplica a artimanha no Edge ST (que testamos recentemente). Dessa forma, consegue-se agradar gregos e troianos.

Outra brincadeira sensorial é que, quando se ativa o modo esportivo, a iluminação interna substitui a tonalidade azul pela vermelha. O danado te provoca!

Raio-x Volkswagen Jetta GLI 2.0

O que é?
Sedã médio, quatro portas e cinco lugares.

Onde é feito?
Fabricado na unidade de Puebla (México).

Quanto custa?
R$ 144.990 
R$ 149.980 (testado)

Com quem concorre?
Por ser um esportivo, o Jetta GLI não tem concorrentes diretos, ao contrário das demais versões que disputam mercado com modelos como Cruze, Civic e Corolla. 

No dia a dia
GLI é muito semelhante ao GTI. Trata-se de um automóvel de dupla personalidade. Consegue ser ao mesmo tempo ser um carro esporte de temperamento explosivo e também um pacato sedã familiar apenas com um toque de botão. 

O seletor de comportamento dinâmico permite ajustar o regime do motor, tempo de trocas e carga da direção, tanto para foco em performance, quanto no conforto. O hatch ainda tem opcionais que entregam assistentes como Controle de Cruzeiro Ativo (ACC), que monitora o tráfego à frente e aciona os freios em caso de emergência. 

Moderno, conta com quadro de instrumentos digital e um generoso multimídia de 8 polegadas (com Android Auto, Apple CarPlay, câmera de ré e sistema de áudio Beats). Ele ainda oferece sensores frontais, laterais e traseiros. O único opcional é o teto solar panorâmico, que encarece a conta em R$ 5 mil. Nesse ponto, o GLI ficou mais barato que o GTI, que poderia superar os R$ 170 mil, mas contava com Park Assist (item indisponível no sedã).

Motor e transmissão
O motor TSI 2.0 turbo é um dos mais populares no Grupo VW e equipa modelos Volks, Audi, Seat e Skoda. Para o GTI, ele foi calibrado para entregar 230 cv e 35,7 mkfg de torque, estes disponíveis a partir de 1.500 rpm. Ou seja, as respostas são proporcionais à força aplicada no pedal direito.

Como bebe?
Com uso exclusivo de gasolina, o GLI (no modo Eco) registrou médias de 7 km/l no cidade. Quando se ativa o modo Sport e trata o acelerador como uma barata, o consumo cai para menos de 5 km/l.

Suspensão e freios
Com conjunto independente nas quatro rodas e um ajuste firme das molas e amortecedores, mas é mais macia que no GTI. Mesmo assim, é um carro que não titubeia em curvas mais quentes e não oscila em velocidade elevadas. 

Os freios a disco nas quatro rodas mordem forte e permitem frear em pouca distância. Ele ainda conta com controles de estabilidade e tração, além de assistente de partida em rampa e freio de estacionamento eletrônico.

Palavra final
O Jetta GLI é a versão para quem sente saudades do finado Highline (da geração anterior) e considera que os 150 cv do motor 1.4 TSI são insuficientes para fazer os olhos brilharem. Além disso, cumpre o papel de carro esporte e automóvel da família.