O Chevrolet Onix vive seus dias de glória. Na verdade, goza do bom momento há pelo menos três anos, desde que assumiu a liderança de emplacamentos. A versão Activ se posiciona no topo do portfólio, muito em função dos adereços aventureiros, que têm grande apelo comercial diante do consumidor, que materializa nele o sonho de ter um utilitário-esportivo na garagem.

Mas é preciso reconhecer que o visual é simpático. A tendência, que no Brasil foi lançada pelo finado VW CrossFox, vem rompendo o tempo e ainda agrada pelos apliques nos para-lamas, molduras em plástico sem pintura, rack de teto e demais firulas.

Voltamos a testar a versão, após intervalo de dois anos. E o que vimos é que o Onix Activ segue como dantes. O que de fato mudou no carrinho nem é de responsabilidade da GM. A novidade fica por conta do sistema Apple CarPlay que passa a integrar os aplicativos de navegação Waze e Google Maps. Mas não se trata de uma exclusividade do pequeno Chevrolet. Qualquer automóvel que seja compatível com o sistema também oferecer os recursos.

Se nada mudou, por outro lado a versão ficou mais cara. Em dezembro de 2016, partia de R$ 57.490. Hoje, o modelo parte de R$ 63.090. Caso o Consumidor opte por transmissão automática o valor acresce em cerca de R$ 5 mil. A versão testada é avaliada em R$ 69.980, em função da caixa automática e da pintura especial.

ESP
Um agravante é a ausência do controle de estabilidade (ESP). Em maio, a Chevrolet apresentou a linha 2019 e não incluiu o sistema, que depois do cinto é o item de segurança mais importante em um automóvel. 

Mas não se trata de um desleixo apenas do Onix, seu concorrente direto, o Hyundai HB20X também não oferece o equipamento. Por outro lado, Ford Ka FreeStyle e Renault Sandero Stepway contam com o recurso embarcado.<EM>

Veredicto
O Onix Activ não difere em nada das versões citadas, como a LTZ 1.4 automática. É um carrinho que resolve bem na cidade, pois seus 3,95 metros de comprimento são um alento no caos urbano e a ausência da embreagem faz a vida bem melhor tanto às sete da manhã, quanto às seis da tarde. A diferença é que o uniforme de “lobinho” encarece a conta em R$ 2.930.

Raio-x Chevrolet Onix Activ 1.4 AT6

O que é?
Hatch pequeno, quatro portas e cinco lugares.

Onde é feito?
Fabricado na unidade de Gravataí (RS).

Quanto custa?
R$ 63.090
R$ 69.980 (testado)

Com quem concorre?
O Onix Activ concorre com o Ford Ka FreeStyle 1.5 AT6 (R$ 68.490); Hyundai HB20X Premium 1.6, automático, (R$ 71.700) e Renault Sandero Stepway 1.6 Easy-R (R$ 66.190) 

No dia a dia
Não difere em nada da versão LTZ, em sua configuração mais refinada. É um carrinho que entrega bastante comodidade, principalmente pelo uso da transmissão automática de seis marchas que facilita a vida no trânsito.

O módulo multimídia MyLink oferece câmera de ré e conexão com sistemas Android Auto e Apple CarPlay. Com a recente atualização do sistema operacional da Apple, qualquer telefone permite manusear navegadores GPS como Google Maps e Waze.

Motor e transmissão
O motor 1.4 8v de 106 cv e 13,9 mkgf é um veterano no mercado e mesmo que não traga o vigor e a sofisticação das recentes unidades turbo que começam a aparecer no segmento de compactos, dá conta do recado. Mas não espere um comportamento atlético. 

A associação com a transmissão automática é um alento no uso cotidiano, mas as respostas são lentas, muito em função da pouca oferta de torque do motor. 

Como bebe?
Seu consumo com álcool é de 10,2 km/l na trajeto combinado entre urbano e rodoviário.

Suspensão e freios
A suspensão do Onix segue o mesmo padrão da categoria, com conjunto independente (McPherson) na frente, e eixo rígido na traseira. Os freios utilizam o trivial conjunto de discos na frente e tambor atrás. <EM>

Apesar de o Activ ser um carrinho justinho e firme, não se deve abusar da sorte. Golpes de direção tendem a comprometer a estabilidade da carroceria, ainda mais pelo fato de o modelo não oferecer controle de estabilidade (ESP), que é inadmissível num carro de R$ 70 mil, que há muito deixou de ser um popular.

Pontos positivos
- Cesta de equipamentos
- Porta-malas

Pontos negativos
- Falta torque ao motor
- Ausência do controle de estabilidade (ESP)