Demorou bastante para podermos guiar a nova geração do Chevrolet Onix Plus. E desde seu lançamento já era sabido que iria demorar. Afinal, o sedã era um dos modelos mais esperados de 2019. Mas fato é que pudemos, enfim, testá-lo. 

 

O Onix Plus chega ao mercado brasileiro e simboliza a consolidação da nova estratégia de desenvolvimento de produtos da General Motors. No Brasil, historicamente os produtos derivavam de projetos da alemã, Opel. Mas em meados dos anos 2000, houve um distanciamento técnico entre os produtos do Velho Mundo e os daqui. Isso tornou muito caro manter os modelos locais atualizados com os europeus. 

Para piorar com a crise econômica de 2008 a GM vendeu a Opel e Vauxhall. Isso penalizou o desenvolvimento, que precisou rebolar com suas plataformas em linha para entregar novos produtos como Montana, Agile e Cobalt. 

Novos tempos
Mas nos últimos anos a China passou a ser polo estratégico no desenvolvimento de produtos para mercados emergentes, como o Brasil. O Onix Plus foi o primeiro, assim como novo Tracker. 

Se escrevesse isso há 10 anos, todo mundo concordaria que a GM estava prestes a fechar as portas. Mas fato é que a indústria chinesa se qualificou numa velocidade espantosa. E o Onix é a mais perfeita comprovação.

Se fizermos um comparativo com os produtos fabricados pela GM no Brasil, o sedã é o melhor automóvel feito aqui desde a segunda geração do Vectra, lançada em 1996. Claro que há um distanciamento em refinamento, uma vez que ambos se posicionam em segmentos diferentes. 

Assim dá para entender como o Onix Plus assumiu a vice-liderança do mercado, ficando atrás, apenas do irmão com carroceria hatch. O problema é que o Onix Plus está encarecendo rápido. A versão de entrada, com motor turbo, chegou em setembro abaixo dos R$ 50 mil e hoje é oferecida por R$ 61 mil. Claro que se tratava-de um valor promocional para impactar o lançamento. No entanto, outras versões também encareceram, como a testada, a Premier, que custava em torno de R$ 73 mil e hoje parte de R$ 76 mil.

Raio-x Chevrolet Onix Plus Premier 1.0 

O que é?
Sedã pequeno, quatro portas e cinco lugares.

Onde é feito?
Fabricado na unidade de Gravataí (RS).

Quanto custa?
R$ 76.050
R$ 80.680 (testado)

Com quem concorre?
O Onix Plus Premier concorre no topo do segmento de sedãs compactos. Seus rivais são Chery Arrizo5 RTS 1.5, Fiat Cronos Precision 1.8, Ford Ka Sedan Titanium 1.5, Honda City EXL, Toyota Yaris Sedan XLS Connect 1.5 e Volkswagen Virtus Highline 1.0

No dia a dia
O Onix Plus Premier figura como opção mais sofisticada para quem busca um sedã Chevrolet, mas não pode apostar num Cruze. O sedã tem pacote farto de conteúdos com partida sem chave, ar-condicionado digital, direção elétrica, multimídia MyLink (com Android Auto, Apple CarPlay, câmera de ré e roteador Wi-Fi), retrovisores elétricos, assim como vidros elétricos nas quatro portas. Seu pacote de segurança inclui alertas de colisão e ponto cego, controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa e até mesmo assistente de estacionamento. Ou seja, um pacote de refinado que se assemelha ao de um sedã médio.

Mas o Onix Plus é um compacto e isso é percebido no acabamento, bem mais simples que de um médio. Ele utiliza plástico por todos os lados e apenas apliques nos descansos utilizam material macio. No caso da versão, o mesmo couro sintético dos bancos. Mas a montagem é boa, assim como o isolamento acústico. 

Tudo isso garante conforto e silêncio a bordo, o que realmente importa para quem passa um bom pedaço do seu dia ao volante, nem que seja no caminho de ida e volta ao trabalho.

No uso cotidiano o carro resolvem muito bem as necessidades de quem precisa de um sedã. O espaço interno é farto, assim como os 470 litros do porta-malas, que apesar de ser um pouco menor que o do Prisma, resolve muito bem. 

Motor e transmissão
O motor 1.0 três cilindros turbo  de 116 cv e 16,8 mkgf é um estreante no mercado e chama atenção pela excelente oferta de torque em baixa rotação, que lhe garante um funcionamento ágil para seus quase 4,5 metros de comprimento. A unidade é combinada com popular caixa automática de seis marchas que a GM utliza em sua gama, que oferece trocas rápidas e uma programação com foco na eficiência.

Como bebe?
Seu consumo com álcool é de 12,1 km/l no combinado entre trajetos urbano e rodoviários.

Suspensão e freios
A suspensão segue o mesmo padrão da categoria, fazendo uso do conjunto independente (McPherson) na frente, e eixo rígido na traseira. Já os freios utilizam a trivial configuração de discos na frente e tambor atrás. 

Palavra Final
A GM estava carente há anos de um sedã compacto capaz de competir no mercado. Prisma e Cobalt cumpriram essa missão de forma improvisada e o Onix Plus uniu o melhor dos dois: eficiência do Prisma e espaço do Cobalt. Definitivamente o melhor sedã da gravatinha desde o Vectra. A GM só não pode é salgar demais na etiqueta, pois assim não há qualidade que se venda.