A Volkswagen promete lançar o SUV cupê Nivus até o final de junho. Mas antes mesmo de estrear ele já ganhou um rival poderoso, o Toyota Yaris Cross Hybrid, modelo que acaba de ser revelado na Europa. Sua chegada aqui é quase improvável, mas todo mundo sabe que o Nivus será vendido no Velho Mundo. 

Além disso, a japonesa prepara um jipinho para o Brasil, com estreia marcada para 2021, que pode absorver algo do novo SUV. Assim, de uma forma ou de outra, eles acabarão se bicando. 

 

Mas fato é que o Yaris Cross surge para povoar um segmento que foi criado pela Toyota, nos anos 1990. O RAV4 foi pioneiro no segmento de utilitários compactos, mas acabou crescendo demais e hoje se posiciona como SUV médio, do porte de Compass e Equinox. 

Abaixo dele há o C-HR, modelo que foi pretendido para o mercado brasileiro, para enfrentar o Honda HR-V, mas nunca aconteceu. Para o Brasil a marca desenvolve, em banho-maria,  um modelo que compartilha plataforma do Etios e Yaris. 

Há quem aposte que seja o pequenino Raize, de 3,99 m, que é vendido com motor turbo no Japão. No entanto, desde o final do ano passado já foram divulgadas negativas para o modelo, que vieram da filial argentina. 

Assim, sobraria espaço para uma versão "tropicalizada" do Yaris Cross, que utilizaria a mesma plataforma dos compactos de Sorocaba. O site Autos Segredos divulgou recentemente uma imagem do que seria o futuro SUV, flagrado na Tailândia, onde foram desenvolvidos Etios e a nossa versão do Yaris. 

No Velho Mundo
O Yaris Cross chega para se posicionar num degrau abaixo do C-HR. Com cerca de 4,18 m de comprimento, o jipinho é montado sobre a plataforma TNGA-B, que é uma derivação a plataforma modular, em que são feitos RAV4, Corolla e o próprio C-HR. 

Fabricado na frança, ele chega para disputar mercado com Renault Captur, Opel Crossland, Hyundai Kona e Nissan Juke. A Toyota espera vender 150 mil unidades anuais por lá, que corresponde a 8% do segmento.

Sob o capô, o jipinho estreia novo motor híbrido 1.5 três cilindros, de ciclo Atkinson (como o 2.0 do novo Corolla, que entrega 116 cv. Pode parecer pouco, mas o propósito da Toyota e entregar eficiência energética e baixas emissões, que segundo a marca são de apenas 90 gramas de gases para cada quilômetro rodado. A unidade também passa a equipar o Yaris (hatch) por lá. 

Além de híbrido o Yaris Cross também contará com versão com tração integral, o que promete fazer dele um carrinho valente, já que a marca garante que muito de sua eficiência está na grande oferta de torque em baixas rotações. Atributo fundamental quando se sai do asfalto.

Visual
O estilo do Yaris Cross é um dos mais interessantes da atual gama de utilitários da Toyota. O clássico Landcruiser tem estilo conservador, enquanto o RAV4 abusa das formas retilíneas e o C-HR exagera nos recortes. 

O Cross associa as formas robustas de um SUV, como as caixas de rodas quadriculadas, com as linhas suaves do Yaris europeu. Cadência da coluna C, assim como as lanternas elevadas atendem a tendência dos jipinhos modernos arrojados, como o próprio Nivus.

Conteúdos
Apesar e a Toyota não informar a lista de equipamentos, é possível identificar pelas imagens que o jipinho conta multimídia flutuante (com conexão com smartphones), ar-condicionado digital de duas zonas, transmissão automática e controle de cruzeiro adaptativo (ACC). 

O quadro de instrumentos combina elementos analógicos e digitais, com ponteiros nas laterais para medidor de combustível e gráfico de funcionamento dos motores, além de uma tela de TFT para o computador de bordo, junto ao velocímetro.

Se o Yaris Cross virá para o Brasil (com base do Etios ou não), ainda é um segredo que a japonesa não conta. Mas fato é que a marca lançará seu SUV em 2021 e se absorver parte de seus conteúdos, será um certamente dificultará a vida de seus concorrentes, como do novato Nivus e o futuro SUV do Argo. Afinal, a Toyota goza de um prestígio ímpar que tira o sono de qualquer rival.