O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, o ministro da Cidadania, Osmar Terra, e representantes do governo de Minas Gerais, assinaram, nesta terça-feira (14), em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, termos de compromisso para adoção de medidas de recuperação socioeconômica do município, após o rompimento de uma barragem da Vale, no dia 25 de janeiro.

A prioridade é a implantação de um trem turístico entre Belo Horizonte e a cidade de Brumadinho. Para isso, está em análise, segundo o ministro do turismo, um empréstimo de R$ 10 milhões por meio do Prodetur + Turismo.

A proposta inclui a criação de uma estação no Museu de Inhotim, um dos principais atrativos da região. "Que a gente consiga viabilizar esse importante projeto, que terá 52 quilômetros de extensão e duas mil pessoas transportadas todos os dias”, frisou o ministro do Turismo.

A empresa SEMO será uma das responsáveis pela estruturação da linha férrea, que recebeu das mãos de Marcelo Álvaro o Selo + Turismo, atestando a viabilidade da iniciativa..

Brumadinho é uma das cidades contempladas pelo Investe Turismo, programa do MTur em parceria com o Sebrae que vai estruturar e promover um total de 30 roteiros estratégicos de todo o país, incentivando novos negócios e investimentos. A Pasta também analisa a viabilidade de um projeto do Instituto Sebastião, voltado à implantação de uma rede de sete estações de ônibus elétricos, integrada ao novo trem, com vistas à promoção do desenvolvimento de Brumadinho e Nova Lima. O circuito, batizado de Estações de Lótus, levaria visitantes aos principais atrativos da região, como Inhotim, Macacos e Jardim Canadá, em Nova Lima.

A agenda em Brumadinho marcou a inauguração da Estação Cidadania, criada pelo Ministério da Cidadania para promover programas culturais, práticas esportivas e de lazer, bem como formação e qualificação profissional, serviços socioassistenciais e políticas de prevenção à violência.

As iniciativas apresentadas nesta sexta-feira (14) resultam do trabalho de um Comitê de Crise implantado pelo governo federal logo após o rompimento da barragem. As ações foram articuladas desde fevereiro pelos ministérios do Turismo, da Cidadania, do Desenvolvimento Regional e da Saúde junto ao governo mineiro e ao município de Brumadinho.

Aeroporto em Betim

O ministro do turismo sugeriu ainda esforços no sentido de se viabilizar a construção do aeroporto regional de Betim, na Grande BH. “O aeroporto seria essencial para diversificar não só a economia de Brumadinho, mas de toda a região metropolitana de BH”, justificou.

Desde 2003, o MTur repassou cerca de R$ 516 milhões para 1.842 obras em todo o estado de Minas Gerais. A Pasta, por meio do PAC Turismo, investiu na sinalização de cidades históricas do estado, a exemplo de Ouro Preto, Mariana, Congonhas, Diamantina, Serro, Sabará e São João del Rey, totalizando recursos da ordem de R$ 3,8 milhões.

Ações Sociais

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) apresentou nesta sexta-feira, 14, o projeto SuperAção Brumadinho, com assistência técnica, gerencial e de ações sociais para atender, por dois anos, cerca de 790 famílias da área rural do município de Minas Gerais atingida pelo rompimento da barragem da Vale, em janeiro.

O programa está incluído na Aliança por Brumadinho, programa coordenado pelo Ministério da Cidadania em parceria com a iniciativa privada e o terceiro setor.

As famílias rurais atendidas pelo Senar estão incluídas no cadastro único de programas sociais do governo, em situação de extrema pobreza com renda mensal de R$ 89 a R$ 178 por familiar.

O Senar realizará ações voltadas para a saúde preventiva e capacitará profissionais para o trabalho no campo, como criação de pequenos animais, horticultura, fruticultura, apicultura, pedreiro, carpinteiro, eletricista rural, entre outros, além de atividades como produção de artesanatos em tecidos, sementes e cascas, produção artesanal de alimentos e doces.

Os beneficiados serão divididos em grupos de acordo com a aptidão agropecuária. Os técnicos do Senar farão as visitas bimestrais para acompanhar a evolução dos produtores e seus resultados em todas as etapas.

Em contrapartida, o Ministério da Cidadania destinará R$ 2.400 por projeto, valor dividido em duas parcelas. O beneficiado realizará o saque pelo cartão do Programa Bolsa Família na medida em que o recurso for liberado.

No projeto SuperAção Brumadinho, após o diagnóstico socioeconômico e ambiental, serão definidas ações de capacitação e assistência técnica e gerencial.

Em seguida, os produtores serão mobilizados, terão um acompanhamento da evolução, com gestão sistêmica das etapas do projeto. No fim, terão a gestão operacional, econômica e técnica dos resultados gerados pelas ações propostas.

* Com Ministério do Turismo

Leia mais:
Três meses após tragédia de Brumadinho, número exato de mortos ainda é desconhecido
Estado aposta em parceria para alavancar turismo