Quando se fala em Caribe, o que lhe vem à mente? Sol, praia, belos cenários de águas azuis completamente transparentes, ritmos musicais envolventes, povo simpático, luxuosos resorts de praia, pousadas exclusivas e gastronomia diferenciada. A minúscula St. Maarten oferece tudo isso na dose certa.

A 240 quilômetros a sudeste de Porto Rico, a ilha de St. Maarten (ou Saint Martin, em francês) é tão pequena que quase passa despercebida. Nela, o visitante encontra todos aqueles elementos citados, mas com uma variável peculiar: a forte influência europeia, seja na arquitetura, na língua, na gastronomia ou na vocação para os esportes náuticos.

Sint Maarten é o nome da parte holandesa dessa ilha. Saint Martin, o da parte francesa. É incrível como, num pedaço de terra tão pequeno, com apenas 96 quilômetros quadrados, há dois países, com línguas e costumes distintos. Você vivencia culturas diferentes, conhece lugares tão diversos, deslocando-se poucos quilômetros.

St. Maarten, o lado holandês, tem apostado numa gastronomia diferenciada. Excelentes restaurantes e bares se espalham pelo território, concentrando-se principalmente na capital, Philipsburg, onde também estão os cassinos.

O lado francês aposta nas compras sofisticadas e no duty free. Sua capital, Marigot, tem comércio de luxo e bons restaurantes. Por não cobrar impostos aduaneiros, toda a ilha é um verdadeiro free-shop.

 

St. Maarten


Uma ilha, dois países e muitas experiências inesquecíveis

A chegada a St. Maarten já é, por si só, memorável. Afinal, é quase inacreditável que se consiga aterrissar um Boeing 767, um 747 ou um Airbus A340 na apertada pista do Aeroporto Internacional Princess Juliana. Lá de cima, a gente olha e não acredita nem que exista uma pista lá embaixo, espremida entre o  mar e as montanhas.

No trajeto entre o aeroporto e hotel, já se tem uma boa ideia de como é a ilha: uma mescla de estilos e influências holandesas, francesas, espanholas, africanas e, claro, tipicamente caribenhas, com o uso de muitas cores.

As casas são de boa qualidade, mesmo as mais simples, e os moradores, quase todos, têm um bom padrão de vida, principalmente quando se compara com outros países do Caribe.

Cassinos, bares e casas noturnas se espalham pela ilha. Afinal, a principal fonte de renda de St. Maarten/St. Martin é o turismo, e os turistas vão para lá em busca de diversão.

Um dos bares mais concorridos durante o dia é o Sunset Bar & Grill, que fica ao lado da cabeceira da pista do aeroporto Princess Juliana. Sua varanda fica sempre cheia de turistas observando a chegada das grandes aeronaves, que passam “raspando” na faixa de areia. Incrível.

Além disso, quem aprecia esportes náuticos também encontra um lugar ao sol. É possível até participar de uma mini regata, nos moldes da America’s Cup. Veja no site 12metre.com.

Mas o Caribe não é só para agitos. Quer descansar, esquecer os problemas? Caminhe pelas praias Dawn, Cupecoy e Mullet Bay, em St. Maarten, ou pela Orient e Baie Rouge, em St. Martin.

No fim da tarde, com uma cerveja ou outro drink na mão, pare para deslumbrar diante de um pôr-do-sol magnífico. St. Maarten, assim como todo o Caribe, é um lugar para se conhecer sem pressa. Para se viver plenamente.

St. Maarten

Tudo é caro

Por ser pequeno e possuir poucos recursos naturais, St. Maarten importa quase tudo que consome. Isso explica por que os produtos lá não são baratos. Uma cerveja importada custa, em média, US$ 3,25. Um simples cappuccino, US$ 3,58 em média.

Um menu de três pratos em um bom restaurante custa entre US$ 60 e US$ 80. Mas você encontra restaurantes mais populares, com preços que variam de US$ 9,50 a US$ 20. Pacotes, pelo Expedia.com, saindo de BH, são encontrados a partir de R$ 7.820 por pessoa.