Ancara e Washington intensificarão as operações nos "próximos dias" para expulsar os jihadistas do Estado Islâmico (EI) do norte da Síria, perto da fronteira com a Turquia, anunciou o chanceler turco.

"Temos planos para acabar com o controle que o Daesh (acrônimo en árabe do EI) continua exercendo em uma área situada em nossa fronteira. Quando estes planos estiverem prontos, nossas operações prosseguirão com intensidade cada vez maior", declarou Feridun Sinorlioglu à agência pró-governo Anatolia.

"Não permitiremos que o Daesh mantenha sua presença em nossa fronteira", insistiu. "Verão o que acontece nos próximos dias".

O secretário de Estado americano, John Kerry, indicou na terça-feira que os Estados Unidos e Turquia devem iniciar uma operação para "fechar" totalmente a fronteira norte da Síria, controlada parcialmente pelo EI.

"A fronteira síria está fechada em 75%. E vamos começar uma operação com os turcos para fechar os 98 quilômetros restantes", afirmou ao canal CNN.

Na segunda-feira, os líderes do G20 reunidos na Turquia insistiram na necessidade de atacar o EI, após os atentados que deixaram pelo menos 129 mortos em Paris.

A Turquia, que abriga 2,2 milhões de refugiados sírios, defende há vários meses a criação de uma "zona de segurança" na região norte da Síria para receber os refugiados do país em seu próprio território.