O casal Aline Alves e André Chaves deixou a carreira de analista de sistemas na bolsa de valores, em São Paulo, para investir em uma empresa que pudesse fabricar produtos naturais. Em 2015, eles iniciaram a produção artesanal da Java Chocolates. Produziam apenas algumas unidades ao dia que eram distribuídas a familiares e amigos. Agora, a venda do produto está presente em várias cidades de Minas Gerais e outros seis estados. A produção chega a uma tonelada por mês.

Veganos, diabéticos e aqueles que seguem uma dieta fora do comum formam o público-alvo da marca. “Sou alérgica e tinha muita dificuldade em encontrar boas opções de produtos no mercado. Apostei na fabricação do meu chocolate, com ingredientes que eu conhecia e poderia atestar a origem e composição”, explicou Aline Alves, responsável pela criação dos sabores e desenvolvimento dos produtos.

A empresa conta com 11 diferentes tipos de chocolates gourmet que não contém lactose, soja ou glúten. “Cada receita com chocolate que produzimos não contém nenhum conservante ou estabilizante. O cacau utilizado vem de fazendas em que conhecemos o método de produção e colheita”, complementa Aline.

Responsável pela gestão dos negócios, André diz que a Java surgiu da grande vontade do casal em empreender em negócio próprio em Minas. Foram seis meses de estudos e trabalhos na formatação da empresa, antes de lançar os produtos no mercado.

“Pensamos no crescimento de uma maneira sustentável e que não interfira na nossa maneira de produção artesanal. Buscamos sempre lançar novos produtos, mas não pretendemos expandir de maneira rápida, de uma forma em que não podemos cuidar de todas as etapas do negócio”, descreve.

Além de Minas Gerais, os produtos da Java são distribuídos nos estados de Goiás, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo. No ano passado, o casal promoveu a expansão física da fábrica. Para este ano, o objeto é alcançar novos mercados. “Nascemos em meio à crise e ainda não sentimos os efeitos dela. Sempre pensamos muito antes de cada passo que vamos dar, mas queremos alcançar cada vez mais espaço no mercado”, pontua André Chaves.

Crescimento

A fábrica da Java tem sede em Belo Horizonte. A previsão dos sócios é de dobrar a produção neste ano, além do desenvolvimento de novas receitas. Para reduzir o sódio, Aline passou a utilizar sal do himalaia na fabricação dos chocolates, uma necessidade cada vez mais exigida no mercado de quem busca por produtos s orgânicos, além de atender a muitos consumidores com restrições alimentares.

“O sal do himalaia é um sal de rocha, que contém o mesmo número de minerais que o sal marinho, mas com menos sódio. Ele tem qualidades nutricionais mais interessantes para o corpo. É um diferencial que sempre buscamos incorporar aos nossos produtos”, explica Aline.