Após assumir uma dívida que o Estado de Minas Gerais possuía com o Banco do Brasil, a União recuperou todo valor utilizado para quitar o débito. De acordo com o Tesouro Nacional, os R$ 417,27 milhões foram reavidos por meio do bloqueio de repasses constitucionais que deveriam ser entregues a Minas.

A Secretaria de Estado de Fazenda confirma o bloqueio dos recursos repassados pela União, e garante que, a partir do momento em que o Tesouro Nacional conseguiu recuperar todo o valor utilizado para quitar a dívida do Estado com o Banco do Brasil, o bloqueio foi suspenso, e até o momento, Minas recebe normalmente todos os recursos constitucionais repassados pela União.

O governo mineiro decretou estado de calamidade financeira ainda em dezembro de 2016, mas nunca chegou a formalizar um pedido de adesão ao Regime de Recuperação Fiscal do Estados (RRF). Os Estados que decidiram aceitar ao RRF têm suas dívidas honradas pela União sem o bloqueio de repasses dos fundos aos governos.

Leia mais:
Caixa tem lucro de R$ 6,7 bilhões no primeiro semestre
Desafio bilionário à espera do novo governador: déficit de R$ 5,6 bi pode quadruplicar