Várias lâmpadas têm ficado acesas em Belo Horizonte

Tatiana Moraes - Hoje em Dia
28/07/2015 às 07:18.
Atualizado em 17/11/2021 às 01:06
 (Luiz Costa)

(Luiz Costa)

Enquanto os brasileiros se esforçam para reduzir ao máximo o consumo de energia, desplugando da tomada equipamentos eletrônicos que não sejam extremamente necessários, postes de iluminação pública estão acesos em plena luz do dia em Belo Horizonte, desperdiçando luz elétrica.

Segundo o diretor Comercial da Remo Engenharia, empresa que venceu licitação da Prefeitura para dar manutenção na iluminação da cidade, Rafael Rezek Mohallem, 6% das lâmpadas de BH apresentam problemas mensalmente, o dobro do índice aceitável, de 3%.

A empresa assumiu o serviço em janeiro. No contrato, 7,2 mil manutenções seriam realizadas por mês, mas, na prática, são feitas mais de 11 mil. Segundo Mohallem, ele sabia que a transição seria difícil, mas acreditava que o número de consertos seria reduzido com o passar do tempo, o que não aconteceu.

Uma das possibilidades que explicam o problema é um erro na quantidade de pontos de iluminação informados, inclusive no edital: 178 mil. “Se a quantidade de pontos for maior, o índice não será reduzido. Mas vamos aguardar mais uns dois meses”, diz. Caso não haja alteração, há a possibilidade de a empresa pedir uma revisão no contrato, fechado em R$ 32,9 milhões, para 24 meses.

Flagra

Entre sexta-feira e nesta segunda-feira (27), a reportagem do Hoje em Dia flagrou 15 lâmpadas públicas somente no centro de Belo Horizonte, quase ao lado da Prefeitura. Outras regiões da cidade também apresentavam o problema.

O que pouca gente sabe é que uma lâmpada acesa indevidamente durante 10 horas (tempo em que o dia está claro) pode consumir quase duas vezes mais energia do que uma residência que gasta 165 KWh por mês (média de consumo população brasileira). Ou seja, uma lâmpada de 400 watts gasta, em 10 horas, 4 mil Wh ao passo que uma residência que consome 165 KWh gasta, em 10 horas, 2.319,45 Wh.

“As lâmpadas podem consumir menos energia, claro. A de 400 watts é uma lâmpada bem potente. Mas a ineficiência é a mesma”, afirma o consultor do setor elétrico e membro do Instituto de Desenvolvimento do Setor Energético (Ilumina), Roberto D’araújo. Há lâmpadas nos postes com 70 watts de potência. Estas consomem 700 Wh em 10 horas.

O coordenador do Grupo de Estudos do Setor Elétrico (Gesel), Nivalde de Castro, ressalta que em tempos de baixos níveis de reservatórios – Sudeste e Centro Oeste, que respondem por 70% da geração nacional estão em 37,51% da capacidade total – que são compensados com as térmicas, cujos combustíveis são mais caros, qualquer desperdício deve ser condenado. “Hoje, desperdiçar energia demonstra ineficiência. E quem paga por isso é a população”, diz Castro.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por