Em troca dos favores, as lideranças do PT de Monte Azul exigiam dos eleitores apoio político para os “nossos deputados”. Tal empenho foi comemorado efusivamente por um dos favorecidos.

Em vídeo gravado pela Polícia Federal antes do pleito, e que consta no inquérito da operação “Curinga”, o deputado Paulo Guedes fez um pronunciamento agradecendo o apoio recebido de Toninho da Barraca, Marineide do Sindicato e Geraldo Ladim.

“Por isso que eu vim aqui, Toninho. Do seu lado, do lado do nosso vereador Ladim, meu grande amigo, parceiro, companheiro. Da vereadora Marineide do Sindicato, que está aí agarrada na nossa campanha”, discursou o parlamentar em cima de carro de som.

“Se eu consegui fazer tanto aqui sendo deputado líder de oposição na Assembleia, vocês imaginam a partir do ano que vem. Porque além da Dilma (presidente reeleita), eu vou ser deputado de governo do Pimentel (Fernando, governador eleito). Aí nós vamos fazer muito mais”, prometeu.

Ironicamente, Guedes se comprometeu a conseguir para a cidade, caso eleito, uma agência do INSS. De acordo com as investigações, a organização criminosa obtinha as aposentadorias forjadas no escritório do Instituto em Espinosa, a 40 Km de Monte Azul. Inicialmente, a documentação falsificada era preparada na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Monte Azul. Posteriormente, seguia para o INSS de Espinosa. Nessa hora, entrava em cena a figura do servidor Ronaldo de Medeiros Boeira, que repassava dados sobre andamento processual aos envolvidos no esquema.


Assista ao vídeo: