Na contramão dos altos índices de desemprego e dos números frágeis da economia, o mercado de trabalho na área de tecnologia está mais aquecido em Belo Horizonte do que na média nacional. De acordo com análise da empresa de recrutamento Revelo a partir de dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), as vagas para o segmento de programação e desenvolvimento da capital cresceram 2,9% de janeiro e junho de 2019, quase o dobro da média nacional no período, de 1,7%.

Os números mostram a consolidação de BH  como um dos principais polos tecnológicos do país, ao lado de cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Florianópolis e Curitiba. Os bairros Savassi e Funcionários concentram a maior parte das empresas de tecnologia, segundo o levantamento, e cerca de 15 mil profissionais trabalham nessa área na capital mineira. A média de salários em BH para o segmento é de R$ 6.600, menor do que a média nacional (R$ 7.500), puxada por São Paulo e Brasília.

Os dados também mostraram que as pequenas empresas oferecem salários menores, mas são responsáveis pela maior parte das contratações. “Muitas pessoas preferem trabalhar em empresas menores, mesmo sem altos salários, porque têm uma visão de crescimento para aquele projeto”, afirma Lucas Cabo, líder de expansão da Revelo na capital mineira. 

Crescimento

O diagnóstico da Revelo, que recentemente recebeu R$ 70 milhões em investimentos, foi o ponto de partida da empresa para a expansão para a capital mineira. A nova plataforma de recrutamento digital, que inverte o processo tradicional – não são os profissionais que buscam pelas empresas, mas os empregadores que vão atrás dos talentos - percebeu que havia uma dinâmica interessante no mercado de trabalho mineiro, que se desenvolve bem não somente na Grande BH, mas também em Uberlândia e no Sul de Minas.

Atualmente, a recrutadora trabalha com 3.500 empresas. São as companhias que contratam e remuneram a plataforma para encontrar profissionais qualificados para as vagas. Já para os profssionais, o cadastro é gratuito. Basta entrar no site da Revelo e fazer um cadastro com dados sobre formação, experiência, qualificação etc. Para alguns perfis, é necessário passar por um teste de conhecimento. Os cadastros são comparados às demandas das empresas e, se houver compatibilidade, os empregadores são avisados e as entrevistas são agendadas pela própria plataforma. 

Além da área de tecnologia, que é o principal foco da empresa, o setor de finanças também se mostra bastante promissor para o mercado de trabalho, de acordo com Alberto Lopes, sócio da Revelo. “Em um ano em que o Brasil começa a deixar para trás a crise, há um aumento da demanda por profissionais de finanças. Mas não somente aquele que trabalha com planejamento financeiro, mas que também sabe lidar com data, interpretar bem os dados para verificar o que estão dizendo”, explica.

Estágio no primeiro período

Coordenador da Faculdade Promove de Tecnologia, o professor João Carlos Peixoto Ferreira diz que a busca por profissionais até mesmo em formação tem começado cada vez mais cedo. Segundo ele, muitas empresas procuram por alunos dos cursos de Sistema de Informação, Redes de Computadores e Sistemas para a Internet para estágios. 

"Muitos alunos começam os estágios já no primeiro período. E estou impressionado com os valores que têm sido oferecidos. Alguns alunos recebem bolsas de R$ 1.200 para estagiar", conta o professor.

Segundo ele, o mercado tem demandado especialmente por profissionais da área de segurança da informação e de desenvolvimento de aplicativos para dispositivos móveis. 

Leia mais:
Concurso oferece 2.460 vagas em hospitais universitários com salários de até R$ 10.350; confira
Stone, empresa de máquinas de cartão, abre vagas de emprego em diversas cidades mineiras